Compartilhe

O Windows 10 de 32 bits está com os dias contados. A Microsoft anunciou que essa versão deixa de ficar disponível para OEMs e desenvolvedores na última grande atualização do Windows 10 de maio de 2020. Esse é o primeiro passo de um longo caminho para transformar o Windows 10 em um produto exclusivamente disponível para arquiteturas de 64 bits.

 

 

 

O início do fim de uma era

 

 

O Windows 10 May 2020 Update marca pela primeira vez uma mudança nos requisitos de hardware para os futuros dispositivos. A partir de agora, o sistema operacional da Microsoft só estará disponível nos novos PCs na sua versão de 64 bits. A versão de 32 bits ainda estará disponível em lojas físicas e online por algum tempo, mas deve ser descontinuado com o tempo.

Os velhos PCs com 32 bits ainda vão receber as atualizações da Microsoft, e para o usuário, os efeitos da mudança serão nulos. Mas prepara para um futuro onde o Windows 10 será totalmente centrado nos apps de 64 bits.

 

 

 

A Apple fez algo parecido com o iOS

 

 

A Apple fez o mesmo com o iOS 11, que deixou de aceitar aplicativos de 32 bits, promovendo uma adaptação em massa dos aplicativos por parte dos desenvolvedores. O número de apps que ficaram de fora da App Store foi grande em um primeiro momento, mas anos depois a transição foi concluída, e ninguém mais pensava se o iOS era 32 ou 64 bits.

A Microsoft permite que tudo coexista de forma plena: você pode executar apps de 32 bits no seu Windows 10 de 64 bits (o contrário não é possível), e isso vai continuar por um bom tempo. Porém, o objetivo final é deixar o Windows 10 com versão única de 64 bits, onde todos os aplicativos disponíveis também serão compilados para essa arquitetura.

 

 

 

Uma melhora sensível de desempenho

 

 

O sistema operacional com 64 bits entrega vantagens notáveis, afetando na autonomia dos dispositivos, no seu desempenho e na margem de manobra na hora de acessar a memória. O desempenho também melhora quando tanto o sistema operacional como os seus aplicativos são de 64 bits, pois permite aproveitar de forma nativa todas as possibilidades da arquitetura de hardware.

O processador pode acessar de forma direta a mais memória e muitas operações podem ser aceleradas por trabalhar com um sistema de processamento mais avançado.

Olhando de novo para o iPhone, o impacto que a arquitetura de 64 bits combinado com as melhorias no processador Apple A7 de 2013 e os aplicativos exclusivamente disponíveis na versão de 64 bits foi enorme.

A Microsoft planeja algo similar para o futuro, e o benefício para os usuários e desenvolvedores será claro: mais configurações e a unificação de um ecossistema que vai deixar para trás (e aos poucos) o legado deixado pelo sistema de 32 bits.

 

 

Via Microsoft


Compartilhe