Os smartphones dobráveis são a grande tendência de 2019, e foi o principal destaque da Mobile World Congress 2019. Porém, até que ponto essa tecnologia está realmente desenvolvida? Os primeiros compradores desse tipo de dispositivo vão pagar mais de 2.000 euros para serem cobaias dos fabricantes?

Na minha modesta e humilde opinião… sim!

A verdade é uma só: nem o Samsung Galaxy Fold, nem o Huawei Mate X foram smartphones concebidos para serem um sucesso comercial. Para começar, a sua faixa de preço não permite um eventual sucesso, pois são produtos com valores proibitivos. Depois, o consumidor consciente tem a perfeita noção que estes são produtos que podemos considerar (sem medo de errar) ‘experimentais’.

Alguns aspectos precisam ser observados como detalhes importantes para explicar a chegada dos smartphones dobráveis nesse momento.

 

 

A Samsung precisava lançar um produto cuja tecnologia estava preparando há muito tempo (tempo demais a ponto de quase ser considerado uma lenda urbana). E a Huawei não queria ficar para trás, porque quer a liderança do mercado de smartphones para os próximos dois anos. Levando em conta as preocupações dos dois fabricantes, só podemos pensar ou imaginar que ambos são produtos inacabados.

Porém, é preciso pensar em até que ponto tais dispositivos não vão oferecer problemas. Os fabricantes estão tentando inovar nos formatos e soluções de dispositivos móveis, o que é algo excelente. Porém, o consumidor não deve ser utilizado como amostra de testes de produtos que vão custar caros para entusiastas de tecnologia.

Ainda é cedo para lançar um dispositivo dobrável realmente competente e eficiente para o nosso mercado. Essa tecnologia ainda está em desenvolvimento, e não está pronto para as massas. E, considerando tudo isso, ainda temos que dar os parabéns para Samsung e Huawei por serem os pioneiros nesse sentido.

 

 

Por outro lado, enquanto muitos criticam a Apple por não terem entrado no barco dos smartphones dobráveis nesse momento, vai deixar os seus concorrentes cometerem os erros. E quando lançar o seu dispositivo dobrável (com tela da Samsung, que fique bem claro), a tecnologia estará pronta para o grande público.

Ou seja, o grande problema dos smartphones dobráveis é que a tecnologia ainda está imatura. Pese o seu preço, não são produtos preparados para o dia a dia. Mesmo assim, eu aplaudo de pé a coragem dos primeiros compradores ou early adopters que vão comprar um Huawei Mate X ou um Samsung Galaxy Fold.