O cenário da telefonia móvel no Brasil, segundo a Anatel (em janeiro de 2020) | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia O cenário da telefonia móvel no Brasil, segundo a Anatel (em janeiro de 2020) | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | O cenário da telefonia móvel no Brasil, segundo a Anatel (em janeiro de 2020)

O cenário da telefonia móvel no Brasil, segundo a Anatel (em janeiro de 2020)

Compartilhe

Estamos em um novo ano. Logo, chegou a hora de dar uma olhada em como está o cenário de telefonia móvel no Brasil, analisando a participação de mercado de cada uma das operadoras em atividade no nosso mercado.

De acordo com os dados coletados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em novembro de 2019, o Brasil registrou 228,5 milhões de acessos móveis ativos. Esse é um discreto aumento de 0.1% no volume de acessos, após dois meses consecutivos de quedas.

 

 

Vivo mantém a liderança no Brasil, ampliando a sua vantagem

A Vivo mantém a sua liderança no mercado brasileiro, aumentando a sua vantagem em relação à concorrência. Dessa forma, a operadora se consolida como força dominante na telefonia e internet móvel no Brasil, com quase 10 milhões de acessos a mais no 4G. No total, a operadora registrou 48.4 milhões de acessos.

TIM e Claro continuam disputando a vice-liderança do mercado no volume de acessos. A TIM está na segunda posição, com uma vantagem de pouco mais de 2 milhões de acessos. Porém, a Claro ativou recentemente algumas promoções bem interessantes para diferentes segmentos de clientes, o que pode resultar em uma mudança de posição na análise dos próximos meses.

O 4G continua impulsionando o mercado pós-pago, que é o segmento de cliente que as operadoras brasileiras mais buscam conquistar, por entenderem que é nesse tipo de cliente que estão as maiores margens de lucros. Em novembro de 2019, os planos pós-pago registraram 108.6 milhões de acessos, que representam 47,54% da base total.

Por outro lado, a base de planos pré-pago ainda são a maioria das ativações no Brasil, mas o cenário atual aponta para um movimento de cancelamento de contas ou migração de planos para a modalidade pós-pago. Em novembro de 2019 foram contabilizados 881 mil desligamentos de linhas pré-pagas.

Os dados da Anatel também mostram que as redes 2G e 3G, tecnologias consideradas obsoletas e até extintas em alguns mercados internacionais, ainda são relevantes no Brasil. O 2G registrou 30.5 milhões de linhas ativas e o 3G possui 45.2 milhões de ativações. Juntas, elas representam quase 40% da base total de clientes.

Os dados do parágrafo anterior mostram como o Brasil ainda anda a passos lentos na expansão de novas tecnologias de redes. Muitos de nós não conseguem imaginar que, em algumas cidades brasileiras, o 3G ainda não chegou, e os usuários não contam com uma internet móvel de qualidade.

Quando olhamos para esse atraso estabelecido nas conexões, podemos concluir que a expansão do 5G no Brasil não só vai demorar, como também vai se arrastar. Nem as próprias operadoras de telefonia móvel estão com pressa para implementar as novas redes, e não apenas pela logística e custos envolvidos, mas também porque as outras redes não estão implementadas.

Ou seja, reforço o que disse em diferentes oportunidades: comprar um smartphone compatível com as redes 5G só se justifica se você viaja (e muito) para países onde essas redes estão disponíveis. Caso contrário, é algo inútil. Exceto é claro se você gosta de se mostrar para os amigos.

 

 

Quantidade de acessos 4G em novembro de 2019

Vivo — 48,368 milhões
TIM — 38,531 milhões
Claro — 36,445 milhões
Oi — 24,789 milhões

 

 

Via Minha Operadora


Compartilhe