Documentos internos da própria Apple comprovam que testes internos realizados pela gigante de Cupertino realizados no iPhone 6 em 2014 concluem que esse modelo era mais propenso a sofrer do efeito de dobra que os modelos anteriores.

Como parte do processo coletivo contra a Apple por causa do #bedgate, a juíza do caso, Lucy Koh, expôs os documentos internos da Apple, responsabilizando a empresa pelo problema que fazia com que o iPhone 6 Plus perdesse as suas capacidades de touch.

Em 2014, a Apple foi duramente criticada porque os seus recém lançados iPhone 6 e iPhone 6 contavam com um ponto de dobra. Na época, a empresa não deu muita importância ao problema, aplicando a garantia em poucos casos (a Apple afirmou que apenas 9 usuários reclamaram do #bendgate, quando vários fóruns estavam lotados de queixas), chegando a abrir suas instalações para demonstrar que a falha era, na realidade (da Apple), resultado de mau uso.

 

 

Em 2016, alguns usuários começaram a reportar que suas unidades do iPhone 6 Plus estavam perdendo a capacidade de touch, algo que foi conhecido como Touch Disease. Diferente do #bendgate, aqui os usuários sofriam de uma falha que não caía na subjetividade, e os processos começaram a chegar contra a Apple.

Cerca de 10 mil usuários entraram em uma demanda coletiva, alegando defeito de fabricação nas telas do iPhone 6 Plus. A surpresa foi descobrir que a falha era provocada pelo #bendgate, que fazia com que o chip do controlador touch se desconectasse da placa-mãe.

A Apple nunca admitiu que a falha das telas era provocada pelo #bendgate, mas sim porque ‘os dispositivos sofreram várias quedas em uma superfície dura, gerando estresse’.

 

 

Agora, como parte do processo do Touch Disease, sabemos que a Apple realizou vários testes no iPhone 6 e 6 Plus antes do lançamento, cujos resultados revelam que o iPhone 6 tinha 3.3 vezes mais chances de dobrar que o iPhone 5S, e que o iPhone 6 Plus tinha 7.2 vezes mais chances de acontecer o mesmo.

Os dois problemas teriam sido resolvidos no iPhone 6s, mas a Apple nunca admitiu publicamente o #bendgate.

A Apple ainda não se pronunciou sobre as recentes provas apresentadas.

 

Via Motherboard