Quem já viu ao reality Catfish da MTV sabe do que eu estou falando. Qualquer pessoa pode ter mais de um perfil na internet, onde o perfil falso existe para enganar outras pessoas. E nem precisa mais roubar a foto de outra pessoa: tem sistemas de inteligência artificial capazes de criar faces humanas do nada, e com resultados muito reais. E isso é bem perigoso para quem busca o amor da sua vida na internet.

Os deepfakes (ou o uso da inteligência artificial e machine learning para colocar rotos de celebridades nos corpos de outras pessoas) é um dos temas do momento. Ainda mais quando constatamos que isso pode ser feito de uma forma muito simples.

O site ThisPersonDoesNotExist.com nasceu pelas mãos de Phillip Wang, engenheiro de software que teve a ideia de utilizar a tecnologia Generative Adversarial Network (GAN) da NVIDIA, denominada StyleGAN, para criar um novo rosto do zero.

Os resultados são impressionantes. É claro que o site pode ocasionalmente mostrar uma imagem cuja alteração digital é perceptível. Mas só percebemos quando olhamos de forma mais atenta, encontrando dentes fora do lugar, descolorações ou manchas aleatórias.

Mesmo assim, para uma tecnologia que ainda é recente, os resultados são impressionantes e assustadores. Se é fácil gerar um rosto falso, não vai demorar muito para que outras coisas falsas apareçam, incluindo perfis com o homem perfeito (que não existe).

Na prática, está mais difícil de acreditar nas informações que encontramos no Facebook e em outras redes sociais, onde os perfis falsos só aumentam, com os mais variados interesses. Combinados com a inteligência artificial, tais sistemas serão ainda mais difíceis de serem detectados, e as chances das pessoas mais inocentes serem enganadas são cada vez maiores.

O que a inteligência artificial pode fazer no futuro, além de enganar as pessoas? Será que, com a evolução da tecnologia, teremos uma espécie de Terminator à solta?

Eu sempre achei que essa loucura poderia acontecer, mas… vamos esperar pelos próximos acontecimentos.