A Apple decidiu ressuscitar o Mac Mini, quatro anos depois de sua última atualização. O Mac Mini (2018) era esperado por muita gente por muito tempo, e no lugar de uma grande renovação, o que temos aqui é uma grande atualização, ou tudo o que podemos pedir de um produto como esse em pleno 2018.

Umas novidades bem vindas é a inclusão da unidade de armazenamento em SSD, que oferece uma velocidade de uso até quatro vezes maior. Além disso, o novo modelo é ainda mais fino que a última geração.

 

 

São várias opções de armazenamento, até os 2 TB, todas trabalhando com 8 GB, 32 GB ou 64 GB. A Apple afirma que o novo Mac Mini (2018) é cinco vezes mais rápido que as versões anteriores, e entrega um produto mais pensado para as tarefas profissionais, com um preço que não sacrifica tanto no bolso.

Na parte de conectividade, temos quatro portas Thunderbolt, porta Ethernet, 1 HDMI e conector de áudio. Por fim, sobre o processador, um chip Intel de oitava geração com 6 núcleos, trabalhando com o processador Apple T2, o que resulta em uma velocidade até 30 vezes maior na codificação de vídeo.

 

 

Uma das grandes novidades desse novo dispositivo é que será possível conectar todos os Mac Mini (2018) em série, em quantas unidades você quiser, somando as suas potências para que eles trabalhem juntos. Já pensou? Você com um armário inteiro recheado desses novos computadores e tudo trabalhando como um grande servidor ou datacenter?

É sonhar demais, confesso.

Mas não podemos negar uma coisa. Se a Apple decidiu ressuscitar o Mac Mini (2018) logo agora e com todo esse poderio técnico, é porque eles estão cientes que muitos usuários pensam nesse equipamento para o uso pessoal e profissional, ainda mais em ambientes de trabalho cada vez menores.

 

 

O novo Mac Mini (2018) pode ser reservado a partir de hoje (30), mas só chega ao mercado internacional em 7 de novembro. Seu preço inicial sugerido é de US$ 799 (8 GB RAM, Intel Core i3, 128 GB SSD). Não há previsão de lançamento e preços para o Brasil, por enquanto.