Os últimos dados da Counterpoint Researh mostram que o mercado global de smartphones caiu 2% em um ano (363 milhões de unidades vendidas). A Samsung segue como líder em vendas, mas outras quarto marcas chinesas ficam com mais da metade de todo o mercado.

Hoje, a Samsung tem cota de mercado de 20%, seguida por Huawei (15%), que cresceu 41% em relação ao ano passado (somando os seus dados com a sua submarca Honor), e liderando as vendas na Europa. Se consolidou, mesmo sem a ajuda dos Estados Unidos.

Na terceira posição está a Apple (11%), que deve melhorar os seus números com os novos iPhone XS, XS Max e iPhone XR. Na sequência, ficam Xiaomi, Oppo, Vivo e LG, deixando 27% de mercado para outros fabricantes (Sony, Motorola, Alcatel e Nokia).

 

 

A região MEA (Oriente Médio e África) foi a que mais cresceu em vendas em relação ao ano passado (14%), e esse é um dos mercados que explicam a liderança global da Samsung em vendas. Além dela e da Huawei, marcas menos conhecidas como Tecno e iTel superam até a Apple, que fica com 5% do mercado da região.

Na América Latina, a Samsung lidera, mas é perseguida de perto pela Motorola, que tem forte presença de mercado no Brasil. Nos EUA, chama a atenção a liderança da Apple, mas também a forte presença de LG, Lenovo e Alcatel.

Na Europa, Samsung, Huawei e Apple dividem praticamente todo o mercado, mas Xiaomi e Nokia aparecem com força. No caso da marca da HMD Global, o crescimento foi de 782%, o maior crescimento entre as principais marcas.

As vendas de telefones básicos aumentaram 5% em relação ao ano passado (111 milhões de unidades no segundo trimestre de 2018). É mais uma prova que ainda tem muita gente sem acesso a internet e quer um dispositivo dedicado para comunicação básica.