A HMD Global anunciou em Dubai o Nokia 8.1. O modelo considerado pela empresa como um ‘premium acessível’ é, na prática, um dispositivo de linha média alta, que mais substitui o Nokia 7 Plus do que melhora o Nokia 8.

Seu design e similar aos anteriores da Nokia, mas um pouco mais elegante pela combinação de vidro e alumínio no seu acabamento, mas preservando os aspectos cromados do Nokia 7.1 Plus, com o leitor de digitais na parte traseira.

O Nokia 8.1 possui uma tela Full HD+ de 6.18 polegadas com HDR 10 (18:7, 2246 x 1080 pixels). Seu conjunto abriga um processador Snapdragon 710 de 10 nanômetros (octa-core, de 2.2 GHz e 1.7 GHz), trabalhando com gráficos Adreno 616, 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento (expansíveis via microSD) sua bateria de 3.500 mAh possui uma autonomia prometida para até dois dias.

O modelo ainda conta com suporte de áudio aptX da Qualcomm, oferecendo um áudio de alta qualidade e dispensando o uso de fios.

 

 

Nas câmeras, o Nokia 8.1 possui um sensor primário de 12 MP (f/1.8) + 13 MP (com OIS), trabalhando com recursos de inteligência artificial e captura de vídeos 4K a 30 fps. Além da estabilização ótica por hardware, também encontramos a estabilização eletrônica de imagem, que oferece uma boa ajuda para uma maior redução de fotos e vídeos tremidos. Já o sensor frontal para selfies possui 20 MP.

O Nokia 8.1 é um smartphone com Android One, ou seja, além de manter o sistema operacional limpo e sem customizações, ele vai receber os updates mais rapidamente. Sem falar nos dois anos de garantia para grandes atualizações do sistema operacional.

É o tipo de smartphone de linha média que muita gente quer para chamar de seu. Oferece o suficiente para atender bem a maioria das necessidades da maioria dos usuários.

O Nokia 8.1 estará disponível em três opções de cores (azul, cobre e metalizado), e seu preço sugerido é de 399 euros. Não há previsão de lançamento desse modelo para o mercado brasileiro.