O que você verá nos vídeos desse post é a Boku no Yome (ou ‘minha garota’) da Gatebox, e é uma namorada holográfica de 20 cm de altura que vive em uma cápsula de cristal.

O primeiro vídeo mostra como o rapaz sai do trabalho para se encontrar com a sua namorada holográfica, já que ela enviou uma mensagem de texto para o seu smartphone, lembrando que hoje é uma data especial para eles.

A namorada pode enviar mensagens e controlar os dispositivos conectados da casa.

O rapaz vai para casa, cozinha um jantar especial para celebrar os aniversário de três meses de relacionamento com a namorada holográfica. Os dois chegam a brindar com champanhe, e no final, ele dorme no sofá, enquanto ela fica olhando ele dormir.

 

 

O segundo vídeo é ainda mais surrealista. O protagonista se emociona quando, a caminho de casa, ele vê a luz da janela aberta, e acha incrível ter “alguém” esperando por ele.

 

 

Pode parecer um episódio de Black Mirror, mas essa ‘namorada holográfica’ é real e já está no mercado japonês por 1.200 euros, mais uma assinatura mensal de 12 euros.

É um conceito chocante, mas talvez não é tão descabível pensar que, no futuro, os mais velhos ou solitários podem recorrer a esse tipo de ‘companheiros virtuais’ para acabar com a a solidão.

E fica cada vez menos absurdo quando pensamos que alguns dos usuários mais freaks de tecnologia já entendem que é muito melhor ter um relacionamento com um robô sexual do que com um ser humano.

O efeito colateral disso tudo é um maior afastamento das pessoas, em vários sentidos. Afetivamente, estamos ficando mais distantes e individualistas. E esse efeito começou, de forma inusitada, com o advento das redes sociais que, em teoria, deveriam aproximar as pessoas.

Pelo contrário. Hoje, tem gente que se odeia por causa do Twitter e do Facebook.

Agora, some tudo isso, e veja que uma namorada holográfica não é nenhum grande absurdo.

 

Via Gatebox