Robôs que entregam as nossas encomendas estão mais próximos do que você imagina. E essa tecnologia está melhorando aos poucos. A fabricante de pneus Continental apresentou na CES 2019 um conceito onde cachorros robôs entregam os seus pacotes, saindo de furgões autônomos.

A ideia é mesclar dois mundos que estão relativamente co-relacionados para resolver os problemas de avanços tecnológicos no seu setor. Hoje, existem furgões de entrega autônomos operando nos Estados Unidos, mas quando o pacote chega, o usuário ainda precisa sair de casa para pegar o produto.

A solução da Continental é simples: um furgão autônomo sem motorista transporta vários robôs robóticos que entregam a mercadoria no endereço indicado, de forma automática. Depois que os cachorros robôs realizarem as entregas, eles voltam para o furgão, que vai para outro local indicado.

Os avanços aqui são vários. Primeiro, elimina a restrição de 8 horas para todas as empresas de entrega sobre o horário de trabalho e de entregas. Os robôs não se cansam não tem sentimentos, podem funcionar o tempo todo e não reivindicam direitos trabalhistas. Os envios seriam mais rápidos, o tráfego de carros seria melhor, etc.

Porém, o conceito também apresenta desvantagens, já que qualquer meliante pode roubar o robô de entrega. Sem falar naqueles que vão molestar o robô, uma vez que o fator humano ainda está presente. Sem falar nas falhas humanas, as falhas de tecnologia e tudo o que exige uma supervisão humana ou uma monitorização básica.

É importante deixar claro que tudo isso é apenas uma ideia, um conceito. Algo que deve demorar a se tornar uma realidade tangível nos nossos dias. Mas pode ser uma ideia que pode resultar em outras muito similares, que acabam refinando a fórmula.

Os desafios para um robô que entrega encomendas são similares aos que já foram resolvidos para os carros autônomos. Além disso, os robôs de entrega exigem uma tecnologia tão avançada e robusta como nossas soluções automotivas.