Compartilhe

Já era algo que muitos de vocês, leitores do TargetHD.net, já estavam prevendo. Porém, alguém decidiu pegar a calculadora por nós.

O Apple TV+ estreou em 1 de novembro, e o serviço de streaming da gigante de Cupertino chegou ao mundo com limitações: apenas para proprietários de dispositivos da marca, e um catálogo tão limitado, que mais parece ser uma piada do que algo que quer competir com as demais gigantes do setor a sério.

A Apple TV+ iniciou as suas atividades com apenas seis produções originais… e nada mais. Nada de conteúdos de terceiros. Os demais usuários da plataforma podem ver outros conteúdos, mas tudo o que é adquirido no iTunes. Por isso, por mais atraente que seja o seu preço, o serviço é bem mais caro que qualquer outra alternativa da concorrência.

 

 

A diferença da Apple TV+ para as demais, em números

O site The Next Web fez a comparação da Apple TV+ com a Netflix, plataforma líder no setor, e o serviço da Apple é (pelo menos) 242 vezes mais cara que a Netflix na relação custo-benefício, baseado no catálogo disponível nos Estados Unidos (um dos maiores do mundo).

Logo, as seis séries originais da Apple TV+ não fazem nem cócegas contra as 1.326 séries e 4.339 filmes disponíveis na Netflix. E enquanto o preço por série para o consumidor na plataforma da Apple é de US$ 0,55, na plataforma de Reed Hastings o valor por série é de US$ 0,0023.

É óbvio que temos que considerar que a Apple TV+ estreou apenas com conteúdos originais. Logo, para fazer uma comparação mais justa, é importante considerar na conta apenas as aproximadamente 600 produções originais da Netflix, o que reduz a relação proporcional para apenas 26 vezes a maios.

O problema aqui é que vai ser muito difícil para a Apple, mesmo com todo o poderio que tem, alcançar o ritmo da Netflix nas produções originais. Aliás, para a Apple e para qualquer outra gigante que entrar nessa concorrência.

Por outro lado, a saturação de lançamentos que estamos vivendo deixa um cenário difícil de ser assimilado, e muito provavelmente os mais aptos vão sobreviver. Não adianta nada oferecer um grande volume de produções e apenas poucas séries são de qualidade. E, dessa forma, a balança se equilibra novamente.

De qualquer forma, o futuro ainda será complicado para a Netflix. E a Apple é mais uma que vai representar uma pedra no sapato da empresa líder do mercado de streaming global.

 

Via The Next Web


Compartilhe