A Netflix está realizando testes visando a possibilidade em evitar o pagamento de 30% das comissões cobradas pela Apple para as assinaturas pagas via iTunes.

Não é uma novidade, e a Netflix não é a primeira a tentar o mesmo. O Spotify passou por algo semelhante, realizando a cobrança a partir do seu próprio aplicativo.

Os testes realizados pela Netflix começaram no mês de junho e, de acordo com o TechChunch, foram prorrogados até 20 de setembro. Começou com 10 países, ampliando-se em agosto para até 33 mercados, incluindo o Brasil.

Desse modo, os novos assinantes são destinados para realizar o pagamento a partir do site oficial do serviço, e não a partir do app do iOS da Netflix. Por enquanto, são testes. Mas não é de se estranhar que se torne uma solução definitiva, uma vez que já fez o mesmo no caso da Google Play no mês de maio.

Apple e Google não responderam à iniciativa, e não há informações sobre uma tentativa de renegociação de taxas.

As iniciativas dos serviços de streaming para se tornar mais independentes das plataformas de cobrança dos sistemas operacionais móveis podem ser benéficas a médio e longo prazo para os assinantes.

Com 30% a menos de cobrança para uma das vias de assinatura, os serviços on demand podem reavaliar valores de mensalidade, e, eventualmente, cobrar um valor menor para a manutenção dos serviços.

No caso específico da Netflix, o serviço já é popular o suficiente para não mais depender do impulso das plataformas da Apple e da Google para ser relevante.

Por outro lado, ambas podem retaliar dessa forma: excluindo o app da Netflix das duas lojas, e não creio que a plataforma vai querer deixar de receber os valores desses assinantes em potencial.

O ideal seria mesmo a negociação de valores entre todos os envolvidos, mas tudo indica que foi a Netflix que decidiu endurecer as coisas. Vamos ver o que o futuro nos reserva.

 

Via TechCrunch