Netflix em crise, com a maior queda de assinantes de sua história

Compartilhe

Desde o momento em que a Disney anunciou a Disney+, a sua nova plataforma de streaming, todo mundo entendeu que a Netflix passaria por um momento complicado. E não apenas a dura concorrência da turma do Mickey, mas dos demais que decidiram investir pesado no setor, como a Apple (Apple TV+) e a Warner Media (HBO Max). Porém, ao que tudo indica, o golpe chegou muito antes do esperado.

A gigante do streaming apresentou os seus resultados financeiros para o seu segundo trimestre fiscal de 2019, e pela primeira vez desde 2011, o número de assinantes que abandonaram a plataforma simplesmente disparou, e a Netflix fracassou na tentativa de cumprir as suas metas projetadas de crescimento.

A própria Netflix entende que a concorrência não foi um fator para essa queda, já que houve uma mudança material no panorama competitivo durante o segundo trimestre, e a intensidade competitiva e a penetração da plataforma pode variar nas diferentes regiões do planeta.

 

 

Ajustar estratégias e um catálogo mais potente

 

 

E é sempre importante deixar bem claro que quem está afirmando tudo isso é ninguém menos que Reed Hastings, CEO da Netflix. A plataforma perdeu mais de 130 mil assinantes nos últimos três meses. Um número recorde. A maior queda nos assinantes dos últimos oito anos, ou desde que eles lançaram a plataforma de streaming.

Em paralelo, a Netflix fixou como meta conquistar pelo menos 5 milhões de novos assinantes para esses últimos três meses. Mas só conseguiram 2.7 milhões. Essa combinação fez com que os números da empresa perdessem valor em suas ações dentro do mercado.

Chama a atenção o fato de Hastings destacar que os novos serviços que ainda vão chegar ao mercado não foram os responsáveis pelo fracasso da empresa em não alcançar as suas metas. Ele defende que o conteúdo futuro do seu catálogo “não matará a história dos assinantes da Netflix”, mas afirma da mesma forma que será necessário afinar (ou melhor, reajustar) as estratégias da empresa.

Em resumo: a Netflix está oficialmente em crise, vivendo tempos complicados. E os tempos futuros tem tudo para serem ainda piores. Vamos testemunhar tudo isso de perto.

 

 

Via Netflix


Compartilhe