TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Netflix com publicidade: vale a pena? | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | TV Por Assinatura e Streaming | Netflix com publicidade: vale a pena?

Netflix com publicidade: vale a pena?

Compartilhe

Então tá…

A partir de 3 de novembro de 2022, os assinantes da Netflix poderão optar por migrar a sua assinatura atual por um plano com anúncios, no melhor estilo TV por assinatura (que, aos poucos está morrendo no Brasil). O Brasil recebe o novo plano nessa data, e pode ser uma alternativa para quem quer pagar menos para ver séries e filmes na plataforma.

Mas… será que esse plano mais barato com propagandas realmente vale a pena?

Como tudo o que existe nessa vida, existem prós e contras nessa proposta da Netflix, e é importante ilustrar esses pontos para que você e outras pessoas possam decidir com sabedoria aquele plano que entrega a melhor relação custo-benefício no seu caso.

Neste artigo, vamos descobrir se a Netflix foi mãe ou madrasta nesta proposta.

 

Como vai funcionar?

A partir do dia 3 de novembro, a Netflix estreia o plano econômico com publicidade. De acordo com os responsáveis pela plataforma, serão exibidos entre 4 e 5 minutos por hora de programação, o que ainda é menos que os canais de TV por assinatura normalmente exibem em um episódio de 40 minutos de uma série dramática.

Se considerarmos apenas o tempo de exibição de publicidade, as notícias não são tão ruins assim. Além disso, essa publicidade tende a ser de outras séries e filmes em exibição na Netflix, e não as propagandas de outros produtos e serviços. E se a estratégia da plataforma funcionar, outros serviços de streaming podem repetir a fórmula. Então, é melhor você começar a se acostumar com isso.

A grande vantagem desse plano é que ele é bem mais barato do que o plano mais barato da Netflix (que finalmente passa a receber a transmissão em HD), e isso pode ajudar a manter os menos exigentes no serviço. Quem quer (ou precisa) pagar menos e quer manter o serviço ativo no seu plano pode resultar em um pagamento anual de pouco mais de R$ 200, o que pode ser algo interessante inclusive para o serviço de streaming.

Em contrapartida, os usuários que se arrependerem do formato de assinatura pode realizar o upgrade de plano a qualquer momento. Inclusive vale a pena reforçar que o plano mais barato da Netflix, que cobrava R$ 25,90 para exibir os conteúdos em SD (480p) finalmente realizou o upgrade para a resolução HD (720p). Era uma vergonha ter que assistir em formato de TV antiga em 2022 apenas porque não dava para pagar mais do que isso.

E eu sei que falei poucas vantagens sobre o novo plano com publicidade da Netflix. Mas isso aconteceu porque eu não tenho mais boas notícias para compartilhar sobre essa proposta de plano.

Chegou a hora de falar aquilo que não é tão legal assim nesse novo plano da Netflix com publicidade.

 

É claro que tem más notícias neste caso…

Para começo de conversa, não são todos os conteúdos que estarão disponíveis no plano com publicidade da Netflix, por conta das respectivas restrições de licenciamento. O que faz sentido: se o serviço vai passar a exibir publicidade durante os filmes e as séries disponíveis em seu catálogo, é justo que as produtoras de conteúdos de terceiros passe a receber os royalties dessa propaganda que é veiculada no serviço.

Além disso, os usuários não poderão fazer os downloads dos filmes e séries disponíveis no catálogo, pois a publicidade veiculada ficaria vinculada aos arquivos salvos no dispositivo do usuário. O recurso será exclusivo dos assinantes dos planos sem anúncios. E aqui, talvez vai valer a pena para alguns usuários manterem os planos mais caros por conta dessa flexibilidade de consumo de conteúdo que já estão acostumados a ter.

Por fim, a Netflix não deixa claro quantos usuários simultâneos poderão assistir aos conteúdos desses planos com publicidade. Subentende-se que o valor do plano é individual e, neste caso, é preciso fazer as contas se vale a pena mudar para a nova proposta ou manter a eventual divisão de acessos dentro da plataforma.

Ainda não sabemos quanto os usuários que dividem contas vão ter que pagar a mais por essa divisão. Dependendo do valor adicional, será muito melhor manter a qualidade de imagem em 4K por um valor que não é tão mais caro que o plano individual (com ou sem propagandas).

Ou seja, podemos esperar que até 3 de novembro essas questões pendentes sejam reveladas ou compartilhadas com os assinantes. E se não forem, todos nós teremos que esperar um pouco antes de se deixar levar pela eventual empolgação em trocar de plano para pagar menos.

 

Netflix com publicidade: vale a pena?

Não dá para responder um “definitivamente não” neste caso, pois a escolha pode variar em função do tipo de usuário e do consumo que ele dá ao serviço.

O plano da Netflix com publicidade pode valer a pena principalmente para aquela pessoa sozinha, que não se importa em ver publicidade em nenhum tipo de plataforma e assiste de forma prioritária as séries e filmes originais do serviço de streaming, pois esses serão os únicos conteúdos que estão garantidos no serviço.

Para quem saiu da TV por assinatura e abraçou a Netflix justamente porque queria deixar de ver comerciais enquanto assistia a séries e filmes e não vai conseguir voltar atrás na forma de ver TV, não tem jeito: a partir de novembro, terá que pagar a mais por isso.

Por outro lado, muitos de nós teremos que esperar para ver o quanto a Netflix vai cobrar de nossas almas para seguir dividindo o acesso do serviço para múltiplas contas, prática que sempre foi aceita pelo serviço, mas que vai passar a ter cobranças adicionais em breve.

Dependendo do valor a ser cobrado a mais, a mudança para o plano com publicidade pode ser a última saída dos usuários que não contam com tanta grana assim, ou pode ser melhor pagar a mais para manter o serviço do jeito que está.

Particularmente, estou no grupo que vai preferir pagar a mais para ter a imagem em 4K e o catálogo completo da plataforma. Mas essa é a minha escolha. O que serve para mim pode não servir para você.

Aliás… e você? O que pretende fazer sobre o assunto?


Compartilhe