Netflix acabou com os primeiros 30 dias de graça no serviço: tiro no pé?

Compartilhe

Pode ser que a Netflix não esteja entendendo tão bem o assinante brasileiro. Ou entendeu tão bem, que decidiu mudar as regras do jogo por aqui. O que consola é que não foi apenas no Brasil que as regras mudaram.

A Netflix decidiu acabar com a boiada (ou farra do boi) de oferecer os primeiros 30 dias de assinatura do serviço de forma gratuita para os usuários brasileiros. No seu lugar, a plataforma agora oferece 30 dias do plano Premium para quem assinar os planos Básico e Intermediário.

A estratégia aqui é tentar seduzir o assinante pela qualidade do plano superior e, dessa forma, convencê-lo a pagar a mais pelo plano Premium e, dessa forma, aumentar a margem de lucro da plataforma. Outra maneira que a Netflix encontrou em capitalizar mais é fazer com que o usuário pague algum valor desde o começo de sua assinatura.

Muito provavelmente a Netflix percebeu que o brasileiro médio é aquele cara que não quer pagar nada na internet, já que passou anos assistindo séries de graça via torrent ou streaming. Ou seja, o que muita gente estava fazendo era usufruir dos 30 dias grátis do serviço, cancelar antes do início da cobrança de mensalidade (algo possível nas regras da plataforma), e usar um novo e-mail ou dados pessoais de cadastro para mais 30 dias de graça.

Porque o brasileiro adora levar vantagem em tudo, certo?

Para compensar, a Netflix está oferecendo alguns conteúdos gratuitos por tempo limitado, até mesmo como forma de degustação para convencer algumas pessoas a se tornarem novos assinantes. Mas… será que isso vai dar certo no Brasil?

 

 

 

A Netflix manjou o que você, brasileiro médio, estava fazendo

 

 

A decisão sobre o fim dos 30 dias gratuitos da Netflix vai na contramão do que todas as suas principais concorrentes (exceto a Apple TV+ que, em compensação, oferece 1 ano de graça para quem compra um novo iPhone… ao menos isso… vocês já viram o preço de um novo iPhone no Brasil?) estão fazendo. E isso pode jogar contra a empresa quando a batalha do streaming esquentar no Brasil.

Por outro lado, a empresa também aposta na força dos seus conteúdos exclusivos, e busca diferentes maneiras para aumentar os seus lucros ao mesmo tempo que vê os assinantes migrando para outras plataformas e soluções.

De qualquer forma, a Netflix entendeu que o brasileiro médio só estava ficando no serviço nos primeiros 30 dias porque era de graça, e a retenção para um serviço pago era muito pequena. Uma pena, pois é mais uma vez o brasileiro médio estragando tudo.

Por outro lado, quem sabe é uma forma da plataforma se preparar para oferecer planos de assinatura mais competitivos, principalmente nos smartphones e dispositivos móveis, algo que já começou a acontecer lá fora.

Vamos acompanhar os próximos acontecimentos, pois essa pode ser a primeira mudança de outras que estão chegando. De qualquer forma, pelo menos por enquanto, adeus para os 30 dias de graça na Netflix. A partir de agora, para casar com o streaming, vai ter que pagar desde o começo.

 

 

Via UOL Entretenimento


Compartilhe