Compartilhe

O Office 365 se transformou em uma grande fonte de receita da Microsoft, na sua era Cloud First abraçada por Satya Nadella. O serviço já conta com 33.3 milhões de usuários, ajudando no crescimento da sua divisão em 11% no último trimestre.

Ou seja, é um negócio muito lucrativo para a Microsoft, e reforça que vivemos mesmo na era das assinaturas de serviços na nuvem. E o Office 365 é tão poderoso, que a gigante de Redmond até deixa de lado a boa imagem do Office 2019.

Uma nova campanha publicitária do Office 365, a Microsoft faz uma comparação desse serviço com as funcionalidades do Office 2019, lançado em setembro de 2018. Gêmeos são utilizados para exemplificar que muitas das novas funcionalidades do pacote de escritório só estarão disponíveis no Office 365, e não no Office 2019.

O objetivo da Microsoft é bem claro aqui. O Office 2019 tão poderoso como sempre foi, mas muito menos ágil em fluxos de trabalho modernos, como o reconhecimento de escrita à mão para converter em texto, integração com o LinkedIn ou complementação de capitais de estados norte-americanos em tabelas.

 

 

Mais vantagens do Office 365 em relação ao Office 2019

O Office Home and Student tem os aplicativos clássicos do Office: Word, Excel e PowerPoint. Esses não contam com as novidades e funções exclusivas que o Office 365 recebe todos os meses, sem falar que Office na nuvem oferece 1 TB de armazenamento no OneDrive (integrado com todos os serviços) por pessoa.

Por outro lado, a licença do Home and Student serve para apenas um equipamento, enquanto que a licença permite a instalação em vários PCs ou Macs, tablets e smartphones, com suporte contínuo da Microsoft. E, de bônus, você recebe 60 minutos por mês de ligações no Skype por usuário.

É uma estratégia estranha da Microsoft. Por um lado, é de comemorar a existência de licenças do Office. Por outro lado, talvez faz sentido não mais atualizar o Office em licença mas e os casos dos usuários que dependem da instalação para realizar os seus trabalhos?

Fica esse ponto para a reflexão.

 


Compartilhe