Uma mulher que ficou cega há 13 anos conseguiu identificar formas lumínicas com a ajuda de um olho biônico.

Antonina Zakharchenko ficou completamente cega aos 37 anos de idade, em 2004. 13 anos depois, com 50 anos, passou por uma cirurgia que a ajudou a recuperar parcialmente sua visão e, assim, conseguiu ver seu marido em formas lumínicas.

Mesmo sem poder enxergar em 100%, esses avanços abrem um campo promissor para quem está nessas condições. O olho biônico é uma complexa peça eletrônica que aloja um chip em seu interior. Uma câmera captura a imagem, e um chip processa essa imagem cujo sinal pode ser assimilado pelo funcionamento cerebral.

 

 

Durante a cirurgia, o chip foi implantado em uma parte do olho chamada mácula, localizada na retina, que é fundamental para a visão fina dos objetos. O paciente passa a ver um padrão de luz pouco vivo, e terá que aprender a desenvolver essa nova visão. Poucos pacientes no mundo passaram por esse mesmo procedimento.

Na Rússia, essa é apenas a segunda intervenção. Seu custo é de US$ 140 mil, e essa cirurgia foi financiada por instituições beneficentes. Existem pelo menos dez versões dessa prótese ocular que também envolvem tecnologia norte-americana.

 

Via rbth