Compartilhe

Muitos dos leitores do TargetHD.net apreciam muito (para não dizer que contam com um autêntico desejo sádico) os testes de tortura com os smartphones mais caros e populares do mercado. Tudo bem, um outro grupo generoso de pessoas fica realmente revoltada com o procedimento. Mas é preferível entender que o JerryRigEverything presta um grande serviço para a sociedade, pois faz aquilo que a maioria não tem coragem de fazer: detonar o dispositivo sem dó.

Tais testes se tornaram muito importantes para o usuário final, pois mostra a capacidade de resistência do dispositivo em questão, algo que muitos fabricantes não se esmeram muito em mostrar ou dar a devida ênfase. Além disso, em alguns casos pontuais, também é possível estimar o nível de dificuldade de reparação desses dispositivos, e isso pode ajudar de forma decisiva na decisão pela compra (ou não) daquele produto.

Dito tudo isso, o JerryRigEverything submeteu o smartphone dobrável com tela flexível Motorola Razr ao seu já muito tradicional teste de tortura. A avaliação acontece depois que a CNET testou o telefone em suas máquinas, mostrando que ele sobreviveu até 27 mil movimentos de dobra (algo que a Motorola já respondeu ao teste em comunicado).

Nesse segundo caso, o telefone foi submetido a situações extremas. Por isso, recomendamos que os usuários mais sensíveis a este tipo de agressão um maior cuidado, pois a partir de agora teremos cenas fortes.

 

 

Como o Motorola Razr se saiu no teste de tortura do JerryRigEverything?

 

Para começar, o JerryRigEverything riscou a câmera e a tela do telefone. Tal e como esperado, a tela externa (de vidro) do Motorola Razr é mais resistente que a interna (de plástico). A tela interna e flexível é sensível inclusive com marcas de unha, o que mostra a fragilidade do produto.

Outro teste interessante que você pode conferir no vídeo (disponível no final desse post) é se o Motorola Razr permite a entrada de poeira, areia e pequenos objetos no seu interior. E a resposta é SIM, pois ao ser dobrado ele deixa uma pequena elevação na tela, e é aí que os detritos entram e afetam os eu funcionamento. Já a Motorola justifica tal característica alegando que o display fica solto desse jeito para uma dobra de tela mais suave e evitar a formação de vincos.

O telefone seguiu funcionando mesmo com a entrada de um grão de areia no seu interior. Por outro lado, o elemento estranho entregou marcas na tela e causou problemas para a dobradiça, que ficou com um ruído durante o movimento de dobra. Aliás, alguns usuários estão reclamando nas redes sociais que esse rangido na dobradiça existe.

 

O telefone resistiu bem aos riscos nas lestes de suas câmeras e ao teste com um isqueiro sobre a tela. Porém, a sua traseira de plástico sofreu com as lâminas, e a tela do dispositivo ficou danificada após o telefone ser dobrado para trás com força.

É claro que você não vai fazer esses testes extremos com o telefone (bom, pelo menos esperamos que não), mas a tortura do JerryRigEverything é válida justamente para mostrar para o grande público até que ponto o telefone pode aguentar aos mais desastrados ou inconsequentes. Mesmo porque estamos falando de um dispositivo que custa nada menos que R$ 8.999 no Brasil. Ou seja, uma brincadeira cara para sair fazendo bobagens.

Vídeo de tortura a seguir.

 

 

Via SlashGear


Compartilhe