Motorola, e sua suposta volta aos smartphones top de linha, depois de três anos

Compartilhe

Não sabemos se a Motorola estará presente na Mobile World Congress 2020 (por causa da crise do cornavírus), mas se estiver, pode apresentar o seu primeiro smartphone realmente top de linha premium em anos.

Os rumores são fortes, e muitos torcem para isso acontecer. Afinal de contas, não testemunhamos uma configuração correspondente vinda da Motorola desde 2017, quando o Moto Z2 Force chegou ao mundo com componentes de primeira linha (para a época).

Então, muita gente está interessada em ver o que está por vir da parte deles. Depois de anos reposicionando a sua linha de smartphones, a Motorola pode finalmente voltar a apostar em voos mais altos no setor.

 

 

Dois novos smartphones, sendo um deles com cara de top de linha

 

 

O Motorola One adicionou uma nova categoria na família de smartphones da Motorola, que já contava com os habituais Moto G, Moto E e Moto Z. A linha One tinha como objetivo oferecer características menos comuns em telefones com preços mais acessíveis.

Isso pode mudar em 2020. Os modelos de código Burton e Racer devem contar com versões 5G, e o futuro dispositivo top de linha deve se chamar Moto Edge+. Porém, mais interessante que os nomes são as possíveis especificações: dados vazados indicam que a tela dos dispositivos seria curvada para os lados (no sistema Waterfall) e no lugar do notch teremos um furo na tela para a câmera frontal.

Seriam modelos com telas de 6.67 polegadas (FullHD+), deixando de lado as resoluções maiores. A taxa de atualização seria de 90 Hz, e no hardware interno, um dos modelos teria processador Snapdragon 865 com 8 ou 12 GB de RAM, com 5G em algumas versões. Já o outro modelo integraria o Snapdragon 765 com 6 GB de RAM, 128 GB de armazenamento e algumas variantes com 5G.

Nas baterias, o modelo Burton contaria com um módulo com mais de 5.000 mAh, enquanto que o modelo menor integraria 4.660 mAh. Nas câmeras, o sensor principal seria de 48 MP, mas não há maiores detalhes sobre os demais sensores.

 

 

Como foram os últimos anos da Motorola na telefonia móvel?

 

 

Em 2017, a Motorola tinha as linhas G, X, E, C e Z, abraçando todas as linhas. Em 2018, nascia a série One (P30), se manteriam as séries G, E e Z, com um Z3 recebendo um processador Snapdragon 835. Em 2019, foram mantidas as mesmas famílias, com um G8 e muito mais presença dos modelos One, além do Motorola Razr, aposta muito arriscada por ser um smartphone com tela dobrável, mas sem receber especificações de telefone top de linha.

A Motorola foi reduzindo a sua presença global, ficando com apenas 3% em 2019, abaixo de Vivo e OPPO. Um reflexo do fato de muitos fabricantes terem reforçado suas linhas de entrada e média, com lançamentos com ótima relação custo benefício.

Será interessante ver se a Motorola volta a se fazer presente nos modelos top de linha para tentar recuperar mercado em um setor muito competitivo. Uma das soluções aqui pode ser a combinação de um preço menor com a presença do Android (quase) puro.

Veremos se a Motorola vai surpreender a todos em 23 de fevereiro.


Compartilhe