Como é possível, Microsoft?

Os bugs são tão antigos quanto a informática ou a programação, e todo software desse mundo conta com pelo menos um problema. Porém, muitos desses problemas nascem e permanecem por anos, sem que ninguém perceba. Já outros são explícitos há décadas.

@Foone é um usuário do Twitter que comentou sobre um bug que nasceu em 1974 e que permanece vivo no Windows 10, já que na base do sistema encontramos o CP/M de Gary Klidall e o Q-DOS de Tim Paterson.

O sistema tem um erro onde o arquivo AUX.H é identificado como ‘grande demais’ para o sistema de arquivos de destino. E é um arquivo com apenas 9.57 kb. Pouco para a perspectiva atual, mas enorme para 1974.

 

 

Um bug eterno

 

 

A origem do problema está nos arquivos especiais presentes em pastas especiais do Unix, onde tudo era um arquivo. E esse arquivo em específico foi desenvolvido para um computador de 8 bits, com muito pouca memória, sem discos rígidos e sem a estrutura dos diretórios.

Os arquivos ficavam espalhados em todo o disco flexível, sem falar que cada periférico utilizava um arquivo em específico para funcionar, o que consome ainda mais memória.

Tudo isso também aconteceu no Q-DOS e no PC-DOS, e para não ser incompatível com versões arquivos do sistema, os arquivos especiais estariam em todos os diretórios com todas as extensões. E isso aconteceu no Windows 95, baseado em DOS. E o mesmo aconteceu com o Windows NT e Windows XP. Tudo para garantir a compatibilidade com o antigo DOS.

 

 

E tudo fica mais divertido quando constatamos que tais nomes e extensões de arquivos são perfeitamente válidos e compatíveis com o sistema de arquivos NTFS, mostrando que a Microsoft abandonou a falha no DOS e deixou lá, quietinha.

De fato, no Windows 95 a falha era ainda mais bizarra. Se você acessasse o diretório “C:\con\con”, a tal Tela Azul da Morte era produzida de forma automática.

 

 

De qualquer forma, há um debate sobre se este é um bug ou não. Nesse caso, falamos de um bug atual, porque não mais utilizamos o hardware da mesma forma que no passado, quando a tal tela azul fazia muito mais sentido.

Um erro histórico. Mais velho que Star Wars.

Como é possível, Microsoft?

 

Via @Foone