O iFixit publicou o processo de desmontagem do Surface Pro 6 (ou Surface Pro 2018), 2 em 1 da Microsoft anunciado recentemente, que trouxe pequenas modificações.

Mas… será que o produto sofreu muitas modificações internas? Pois bem, essa é uma pergunta que o artigo do processo de desmontagem realizado pelo iFixit pode responder.

Não há mudanças externas importantes, mas internamente, o produto muda. A mudança mais relevante está na melhoria do seu sistema de dissipação passiva, que mantém os novos processadores Core 8000U em baixas temperaturas, uma vez que são mais potentes e geram mais calor que a geração anterior.

Do mais, temos a mesma estrutura base. O SSD é integrado e não pode ser substituído, e a cola segue mantendo todos os seus componentes internos no lugar.

Criar equipamentos finos, leves e potentes exigem sacrifícios em termos de construção interna e reparabilidade. Porém, optar por um design modular deveria ser o padrão entre os fabricantes. Contudo, vale relembrar que tal problema não é exclusividade da Microsoft: outros fabricantes preservam esse foco.

Dito tudo isso, o Microsoft Surface Pro 2018 tem recebeu uma nota 1 em 10, ou seja, ele é quase impossível de ser consertado. É basicamente um “compra um novo” quando der problemas.

 

 

Pontos positivos

– Usa parafusos padrão
– Possui conector de 3.5 mm modular, o que permite a troca sem danos. Porém, é complicado chegar até ele.

Pontos negativos

– Todas as reparações exigem que seja retirada primeiro a tela pela parte frontal. Algo complicado, pois a tela está fortemente colada e é bem frágil
– A bateria é envolvida com uma grande quantidade de cola, e o seu conector embaixo da placa mãe exige uma desmontagem quase completa em caso de troca
– A unidade de armazenamento não pode ser substituída
– Possui uma construção complexa, o que deixa o processo de desmontagem (e posterior montagem) algo difícil e tedioso em comparação com outros tablets

 

Via iFixit