Aconteceu.

A Microsoft superou a Apple e se transformou na empresa mais valiosa do mundo. Mas, espere: nada é tão simples quanto parece, e tudo aconteceu por circunstâncias bem peculiares.

Tal liderança só aconteceu por alguns minutos, e só foi possível por causa da queda nos números que a gigante de Cupertino sofreu nas últimas semanas. Apenas para atualizar você: a Apple se transformou meses atrás na empresa mais valiosa do mundo, e a primeira do setor de tecnologia a alcançar a barreira do primeiro trilhão de dólares.

A Amazon conseguiu a mesma coisa em capitalização de mercado, mas nem ela, nem a Apple conseguiram manter essa posição. No caso da Apple, a sua dependência excessiva do iPhone, um produto que representa 60% das receitas da empresa, somada ao estancamento de setor de smartphone e previsões de vendas abaixo do esperado resultaram em uma grande desconfiança de parte dos investidores, o que reduziu a sua capitalização de mercado de forma significativa.

Agora, some tudo isso a um crescimento considerável no valor das ações da Microsoft, e a gigante de Redmond conseguiu superar a Apple pela primeira vez em oito anos como a empresa mais valiosa do mundo. A diferença foi mínima: US$ 812.930 bilhões contra US$ 812.600 bilhões, mas suficiente para dar a vitória a favor de Satya Nadella e sua turma.

Podemos tirar conclusões interessantes sobre a evolução da Apple e Microsoft na bolsa nos últimos anos. A primeira triunfou no setor móvel e assim experimentou um crescimento espetacular, mas instável. Já a segunda fracassou no setor mobile, mas soube diversificar as suas áreas de negócio para alcançar um crescimento mais lento e mais estável.

É bem provável que a Microsoft acabe superando a marca de 1 trilhão de dólares de capitalização de mercado, e é difícil duvidar disso. Mas… será capaz de se manter nessa posição?

Não vai demorar muito para o mundo responder essa pergunta.

 

Via The Verge