Wetten.com Brasil Apostas
Home » Internet » Microsoft quer IA para redigir notícias, mas precisa conhecer melhor os negros

Microsoft quer IA para redigir notícias, mas precisa conhecer melhor os negros

Compartilhe

Algumas profissões serão substituídas pela tecnologia, onde algumas das vagas serão ocupadas por robôs ou pela adoção da inteligência artificial. Porém, determinadas profissões só podem ser realizadas por humanos. E, para a minha felicidade, o jornalismo não é uma dessas profissões que a IA pode ocupar… pelo menos por enquanto.

Um robô escrevendo notícias na internet não é uma novidade. Várias agências de notícias relacionadas ao mercado financeiro usam sistemas de inteligência artificial para redigir notícias rotineiras sobre os resultados financeiros. Porém, a Microsoft deseja ir mais além, com um projeto que tem como objetivo substituir os jornalistas humanos pela IA no seu site de notícias, o MSN.

Este plano está avançando na Microsoft. Tanto, que a empresa demitiu no mês passado 50 jornalistas humanos para passar a utilizar um sistema de redação integrado com um sistema de inteligência artificial.

Porém, os primeiros resultados não estão saindo como esperado, e dão a entender que a demissão dos jornalistas foi algo no mínimo precipitado.

 

 

 

Confusões polêmicas

 

 

O mundo da tecnologia, a inteligência artificial, o MSN.com e o grupo de música pop Little Mix entraram em rota de colisão recentemente. O The Guardian revelou como o sistema de redação automatizada do MSN.com pegou como fonte uma notícia originalmente publicada no The Independent sobre Jade Thirlwall, uma das integrantes do grupo pop Little Mix, e republicou a notícia com uma foto que, teoricamente, era da cantora.

O problema é que o sistema de inteligência artificial errou de integrante. No lugar da foto de Thrilwall, o software usou a foto de outra cantora do Little Mix, Leigh-Anne Pinnock. Para aumentar a polêmica do erro da IA, as duas cantoras são afro-americanas, e já tem um tempo que muitos especialistas em tecnologia afirmam que os softwares dese tipo tendem a ter “dificuldades” em identificar pessoas com esta etnia (já que são exaustivamente treinadas com pessoas caucasianas).

A confusão foi muito criticada por parte de Thrilwall, que atacou duramente a Microsoft em sua conta no Instagram:

 

“@MSN se vai copiar e colar artigos de outras mídias, talvez seria melhor garantir que vai usar a imagem do membro correto de raça mestiça do grupo”.

 

 

Para completar, Thirlwall reforçou que a confusão entre ela e a sua colega de grupo era algo comum, e que estava acontecendo o tempo todo em vários veículos de mídia (que são gerenciados por humanos… ainda…), se tornando uma piada permanente. A cantora se sente ofendida pelo simples fato da imprensa não ter a capacidade em diferenciar as duas integrantes de cor entre as quatro integrantes do grupo musical.

Quando a Microsoft se deu conta do erro, corrigiu a imagem. Porém, a empresa não confirmou se a gafe ocorreu por conta da inteligência artificial ou pelos redatores humanos. Os sistemas de IA do MSN já tem algum tempo cobrindo todos os tipos de notícias, detectando tendências de discussão nas redes sociais, mudando títulos de matérias ou encontrando imagens para ilustrar os artigos.

Fato é que, em um passado não muito distante, alguns erros polêmicos já aconteceram quando a inteligência artificial entrou em ação para realizar o reconhecimento facial e de objetos quando as pessoas envolvidas eram de raça negra, e essa nova falha volta a colocar em evidência o fato que esses sistemas ainda não estão prontos para estabelecer uma mudança desse porte. Ou seja, o ser humano ainda precisa supervisionar o seu funcionamento, ou pelo menos garantir que os erros serão mínimos.

Mais cuidado da próxima vez, Microsoft.

 

 

Via The Guardian, The Independent


Compartilhe