Compartilhe

O Windows 10 May 2020 Update está disponível, mas muitos PCs não são elegíveis para a instalação desse software. E a proibição vem da Microsoft, que não explica para os usuários o que está acontecendo.

Por exemplo, um computador com processador Intel Core i7-4790K com mais de seis anos de uso, com 16 GB de RAM, gráficos NVIDIA GTX 1070 e duas unidades de SSD ainda vai bem para trabalhar, usar apps específicos e jogar qualquer game a 1080p com elevada qualidade gráfica não é compatível com a última atualização do Windows 10, e forma inexplicável.

 

 

 

O que está acontecendo?

 

 

Todo mundo já teve algum problema com alguma atualização do Windows 10, com falhas e bugs que já se tornaram uma tradição na Microsoft (infelizmente). E muitos já deixam de lado essa última atualização, pois de fato ela não acrescenta nada de novo. Mas os profissionais que precisam manter o seu computador (e os dados armazenados nele) não tem muita escolha, e precisam realizar o update.

Oferecer as atualizações em fases é uma sábia decisão da Microsoft. O problema é que os usuários não são devidamente informados sobre todo o processo.

Existem alguns motivos plausíveis para que a Microsoft considere o seu computador não elegível para a atualização do sistema operacional. Para começar, a atualização do Windows é oferecida em fases para evitar aglomerações nos servidores. Além disso, alguma falha séria pode ter sido detectada, e a empresa evitou liberar a atualização para um número maior de equipamentos suscetíveis aos problemas. Ou algum driver mais antigo bloqueia o update, ou até mesmo a gigante de Redmond está priorizando os equipamentos mais novos.

Então… são várias possibilidades, mas a Microsoft não deixa claro o que é. E todo mundo deveria saber a verdade. É claro que não é o mesmo cenário absurdo dos fabricantes Android com os seus dispositivos, mas as pessoas pagaram pelo Windows por anos, e mesmo com um Windows 10 oferecido de graça, ele tecnicamente não é de graça.

Dizer que a atualização está a caminho e mostrar um página genérica de informações sobre as versões, apenas informando que “estão ajustando a fase de liberação” pode não ser o suficiente. Afirmar que “chegará nas próximas semanas, ou existe um problema de compatibilidade” é, para algumas pessoas, a mesma coisa de não dizer absolutamente nada.

 

 

A Microsoft age corretamente ao bloquear a atualização antes que a mesma provoque falhas ou faça com que algo no computador deixe de funcionar. Também é correto que existam formas para o usuário que quer se arriscar a forçar a atualização em modo manual, desde que ele assuma os riscos.

Porém, uma vez que o Windows 10 verificou o PC do usuário e concluiu que ele não é digno para receber a atualização, é justo que a Microsoft revele aos usuários os motivos para isso, para que o mesmo tome a melhor decisão. Principalmente a decisão em atualizar o hardware para receber a atualização de forma mais rápida. Sem esclarecer os motivos, dá-se a entender que a gigante de Redmond quer mesmo que os mais leigos acabem comprando um novo computador com Windows 10.

Esse é um tema que precisa melhorar nas próximas atualizações. A transparência é tudo nesse caso, pois um usuário bem informado é um usuário que se sente respeitado.


Compartilhe