facebook

O Facebook virou um monstro absurdo. A rede social tem batalhas em diversas frentes para se tornar mais algo mais saudável para os seus usuários, e o seu CEO, Mark Zuckerberg, se mostra disposto a corrigir esses problemas presentes na plataforma.

Através de uma publicação em sua conta oficial do Facebook, Zuckerberg fez uma longa reflexão sobre o seu hábito de fixar um novo propósito a cada ano que inicia, indo de aprender mandarim até construir a sua própria casa.

Para 2018, Zuckerberg tem como meta consertar o Facebook.

Entre os problemas, ele lista o uso de dados, os casos de assédio sexual e a facilidade para manipular a rede social em setores específicos durante processos eleitorais. E Zuckerberg admite que tem muito trabalho para fazer.

O Facebook não anunciou nenhuma mudança oficial e imediata, mas no seu manifesto, Zuckerberg reconhece a existência dos problemas em sua empresa. Esse é um grau de franqueza inédita do executivo, que vem acompanhada por várias reflexões interessantes.

Mark falou que a vocação original das empresas de tecnologia era descentralizar o poder para aproximá-lo das pessoas. Mas o crescimento desmedido de algumas empresas e a intervenção do governo teriam invertido a balança.

Agora é o momento de recuperar o caminho. Zuckerberg fixou este como seu propósito para 2018.

É importante sempre lembrar uma coisa (dando uma de advogado do diabo): assim como toda e qualquer gigante de tecnologia que se preze, o Facebook é uma empresa que existe para gerar lucros.

Logo, não podemos nos esquecer que, dentro dos objetivos de Zuckerberg, está implícito também tornar a rede social uma área mais limpa e civilizada também para os anunciantes. Atrair empresas e patrocinadores que queiram divulgar suas marcas, produtos e serviços em uma plataforma onde mais e mais pessoas compartilham e visualizam informações todos os dias.

As primeiras medidas para corrigir os rumos da rede social devem ser anunciadas em breve.

 

Via Facebook