As polêmicas recentes ameaçaram seriamente a posição de Mark Zuckerberg como CEO do Facebook. Porém, tirar o cara do posto não é tarefa fácil: o menino Zuck tem quase 60% das ações da empresa, e toda decisão final passa por ele.

Porém, os recentes problemas com a rede social fizeram com que vários investidores voltassem a pedir a eliminação de Zuckerberg da presidência do Facebook. A intromissão russa nas eleições dos EUA, a Cambride Analytica, a troca de dados com empresas chinesas e a propagação do discurso de ódio são apenas alguns dos exemplos do que eu estou falando.

Porém, Mark Zucerberg não vai largar o osso. Em entrevista recente para a CNN, ele aviso que não tem planos de abandonar a presidência do Facebook.

Na entrevista, Zuckerberg revisou o papel do Facebook na sociedade, mas sem se esquivar das polêmicas, afirmando que, para ele, tais questões não são tão claras.

Sheryl Sandberg, COO do Facebook, deu apoio para Zuck, afirmando que espera trabalhar com ele nas próximas décadas. Mark reforçou que a rede social “é uma força positiva, porque agente dá mais voz”. Argumento contrastante com o nível de privacidade que a plataforma oferece.

Recentemente, o Facebook decidiu mudar a sua estratégia, com uma posição mais proativa para limpar a sua imagem e evitar que mais escândalos envolvendo a privacidade dos usuários aconteça.

Zuckerberg expligou que o time de gestão mudou bastante em um ano, e que reestruturou completamente a organização. Argumentou que contratou novos profissionais de marketing, parcerias e comunicação, na tentativa de mostrar movimentos de mudança.

Mudanças essas que passam por Zuckerberg de qualquer maneira.

 

Via CNN