Maioria dos smartphones vendidos no Brasil emitem radiação abaixo do limite | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Maioria dos smartphones vendidos no Brasil emitem radiação abaixo do limite | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | Maioria dos smartphones vendidos no Brasil emitem radiação abaixo do limite

Maioria dos smartphones vendidos no Brasil emitem radiação abaixo do limite

Compartilhe

Para aquelas pessoas que sempre ficaram preocupadas com o nível de radiação emitido pelos smartphones comercializados no Brasil, eu trago notícias que podem deixar esse grupo de usuários um pouco mais calmos (porque ficar tranquilo no Brasil de hoje é para poucos).

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realizou um estudo que envolveu a análise de dados de mais de 18 mil dispositivos homologados no Brasil, e os resultados são positivos nesse aspecto. A maioria desses dispositivos emitem uma radiação abaixo do limite máximo de SAR recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 2W/kg.

Para muitos leitores do TargetHD.net, essa questão da radiação emitida pelos celulares é de pouca importância. Mas para outros tantos que estão preocupados com a sua saúde no futuro, o tema ganha cada vez mais ênfase. Parte da popularização dos fones de ouvido sem fio acontece por causa dessa preocupação com a radiação. Porém, até esses fones podem emitir radiação, e é importante você saber que, de acordo com a Anatel, esses produtos são seguros.

Para quem não sabe, o SAR é um teste que mede a taxa de radiação eletromagnética emitida por dispositivos sem fio que é absorvida pelo corpo humano, principalmente na região da cabeça e do tronco. Há quem diga que, com o passar do tempo, essa radiação que o corpo recebe pode trazer danos ao cérebro humano, mas nenhum estudo é conclusivo nesse sentido.

 

 

Como a Anatel realizou os testes?

 

 

A Anatel analisou os dispositivos que passaram pelo seu processo de homologação nos últimos seis anos, onde 12 mil desses produtos são smartphones ou celulares. O estudo revela que a média das medições dos dispositivos compatíveis com as redes 3G apresentou um valor de 0,428 W/Kg. No 2G, a média foi de 0,341 W/Kg, e o 4G registrou uma média de 0,291 W/Kg.

O que podemos concluir aqui?

Que a evolução das redes não necessariamente representa um aumento nos níveis de radiação dos dispositivos. E esse tipo de análise da Anatel ajuda (em partes) a derrubar o mito que a implementação e adoção das redes 5G pode significar um aumento de radiação nos dispositivos e, consequentemente, para o usuário final.

E é importante lembrar que não são apenas os smartphones e celulares os dispositivos que precisam passar pela análise do SAR. Modems WiFi (0,210 W/Kg) e dispositivos Bluetooth – como são os agora muito populares fones de ouvido sem fio (0,192 W/Kg) – também estão muito abaixo do limite máximo estabelecido pela OMS (2 W/Kg), ou seja, não são prejudiciais à saúde.

 

 

Não se deixe enganar pela desinformação

 

 

Ou seja, amigo leitor, pode ficar despreocupado. Se nem o 4G causa malefícios para a sua saúde, não será o 5G, uma tecnologia superior, que vai provocar esses danos. Pode ficar despreocupado com as radiofrequências utilizadas pelas novas redes de telecomunicações. E qualquer dispositivo de radiofrequência que chega ao mercado brasileiro precisa passar pelos testes laboratoriais certificados pela Anatel antes de ser distribuído para o grande público, o que reforça essa ideia de dispositivo seguro para o uso.

A Anatel adota o valor máximo do SAR estabelecido pela OMS (2 W/Kg) para homologar os produtos de radiofrequência que chegam ao Brasil. Lembrando que esse valor não é o mesmo para todos os países. Nos Estados Unidos, por exemplo, o limite do SAR é de 1.6 W/Kg. Na Alemanha, o limite é ainda mais rígido: 0.60 W/Kg.

Por outro lado, é direito seu se manter preocupado, mesmo depois de tudo o que você leu nesse texto. Meu conselho é seguir utilizando fones de ouvido (com ou sem fio) para se manter distante do telefone durante as conversas telefônicas. É uma forma de absorver uma menor quantidade de radiação (que já é bem pequena, como você mesmo pode comprovar).

 

Via Minha Operadora


Compartilhe