Ter um smartphone é uma grande responsabilidade, especialmente para os jovens. Afinal de contas, poucos adolescentes sabem como se comportar de forma adequada e segura no mundo digital. Por isso, histórias como as do Momo Challenge levanta questionamentos sobre até que ponto um jovem deve ter um telefone inteligente.

Por causa disso, Mel Watts, mãe de um jovem de 17 anos, decidiu fazer um contrato para que o seu filho recebesse e usasse o seu primeiro smartphone. Se o filho violasse um dos termos, o dispositivo seria retirado do rapaz de forma imediata.

Para receber o smartphone, o jovem teria que aceitar todos os termos, e a medida foi muito elogiada nas redes sociais, viralizando com muita facilidade e até considerada por outros pais igualmente preocupados com o que os seus filhos podem fazer na internet.

O contrato tem 17 itens, onde se destacam termos como a substituição por conta do próprio jovem em caso de perda ou dano, sempre responder a ligação dos pais de alguma forma (atendendo aos telefonemas ou com mensagens de texto), nada de smartphone nos quarto (o dispositivo é entregue aos pais antes de ir para a cama), nada de recarga de dados depois do fim do pacote previamente contratado, entre outros.

 

 

Mesmo que alguns itens não são tão justos assim, esse é um dos contratos onde o jovem está preso até o último fio de cabelo para usar o smartphone. E é bem interessante ver como a mãe não quer que o filho fique muito preso ao dispositivo.

A ideia é boa, e com certeza vamos ver outros contratos desse tipo pipocando na internet. Quem sabe dessa forma os jovens passam a se comportar melhor nas redes sociais, deixando de lado atitudes estúpidas como desafios imbecis e o web bullying. Ou quem sabe os casos de assédio na internet com compartilhamento de imagens íntimas de terceiros de forma não autorizada também acaba caindo com o passar do tempo.

 

Via Facebook, Instagram