Compartilhe

O Facebook apresentou a sua criptomoeda Libra em junho. A aposta, que tem o apoio de gigantes do calibre de MasterCard, Visa ou Paypal, tinha como objetivo principal domar o espírito do bitcoin, alcançando o grande público. Porém, quatro meses depois, o projeto segue com mais dúvidas que certezas, e alguns dos seus parceiros podem abandonar o barco.

O Facebook tenta contornar o cenário, mas fato é que, até agora, nada aconteceu. Por mais que a rede social alegue que a lentidão do projeto é algo normal considerando as suas dimensões, uma falta de apoio dos parceiros podem complicar (e muito) as coisas para a Libra.

 

 

A Libra preocupa desde o começo

 

 

Todo mundo quer ter a sua moeda virtual, e não apenas o Facebook. Ou você se esqueceu que o Telegram está tentando o mesmo? A diferença é que o Facebook é muito mais poderoso que o Telegram, e se a rede social de Mark Zuckerberg alcança esse objetivo, ela pode colocar em xeque todo o sistema financeiro e bancário em todo o planeta. Sem falar no fato que a moeda virtual pode ser utilizada para lavagem de dinheiro por terroristas financeiros.

Tudo isso gera a demora para a Associação Libra obter a sua licença e regularização. A Europa já recusou a Libra, com a preocupação de um eventual monopólio estabelecido pela mesma, além do já habitual temor sobre a troca de informações e o uso dos dados dos usuários.

 

 

Pressão que pode resultar na desistência dos parceiros

 

 

Vários dos sócios anunciados pelo Facebook para a Libra estariam se mostrando muito cautelosos, evitando um apoio público ao projeto diante do temor do escrutínio internacional. De novo: sem uma boa rede de sócios financeiros que podem ajudar a transferir as moedas vigentes para a Libra e aos minoristas globais (que podem ou não aceitar a moeda como forma de pagamento), o alcance da Libra seria limitado.

Já o Facebook afirma que, nas próximas semanas, serão formalizados os primeiros membros da Libra Association, e só lá vamos descobrir se algum grande nome do setor desistiu do projeto.

O Facebook também entende que as mudanças que a Libra vai promover são duras e exigem coragem. O caminho para a sua implementação é longo, e a empresa entende que precisa de “membros comprometidos” com a missão, desconhecendo a deserção de algum grande parceiro.

Nada está muito claro nesse momento. O que fica claro é que, quatro meses depois, não há um apoio público ou anúncios oficiais. Apenas críticas por parte das instituições. O Facebook se defende, e afirma que teremos notícias sobre o assunto em breve, além de garantir que vai cumprir com todas as leis necessárias, inclusive aquelas contra a lavagem de dinheiro via criptodivisa ou o financiamento do terrorismo.

Vamos esperar para ver como tudo isso vai acabar, mas está claro que o início da Libra não é dos mais fáceis.

 

Via Wall Street Journal


Compartilhe