Lei do RJ que queria teste no Detran e seguro para uso de patinete elétrico será vetada | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia
Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | Lei do RJ que queria teste no Detran e seguro para uso de patinete elétrico será vetada

Lei do RJ que queria teste no Detran e seguro para uso de patinete elétrico será vetada

Compartilhe

Arregou!

Nem deu muito tempo de xingar esse projeto de lei nefasto. O deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL), percebendo a imbecilidade que fez ao exigir habilitação por CNH (Carteira Nacional de Habilitação) ou prova no Detran para usuários e de patinetes elétricos no estado do Rio de Janeiro, pediu ao governador Wilson Witzel que vete o PL depois de perceber a enorme rejeição da população diante do absurdo texto.

O Projeto de Lei encontrou resistência da sociedade (que tem bom senso e inteligência), mas o político dá a entender que a mesma sociedade “não compreendeu a iniciativa como oportuna”, já que a mesma seguia leis similares ao da cidade de São Francisco, Califórnia (EUA).

Alguém precisa dar um pulo em São Francisco para saber se os cidadãos de lá estão de acordo com a leia, ou se estão felizes com ela…

Já Witzel disse em entrevista na última sexta-feira (14) que nem havia analisado o projeto ainda, e que muito provavelmente não sancionaria qualquer lei envolvendo os patinetes elétricos.

 

 

Uma lei que inviabilizava o serviço de aluguel de patinetes elétricos

 

O texto era imbecil em vários níveis, e foi co-redigido com a ajuda do deputado Gustavo Schmidt (PSL). O PL tinha como objetivo criar uma regulamentação do transporte individual elétrico, onde a principal exigência era que o usuário contasse com uma autorização do Detran-RJ para o uso dos veículos.

Ou seja, quem não tem uma CNH teria que realizar uma prova no Detran para usar os veículos motorizados individuais (patinetes elétricos, bicicletas elétricas e monociclos motorizados).

A lei também previa a necessidade de um depósito prévio para cobrir possíveis acidentes, em uma espécie de seguro. As empresas que fornecem o serviço de aluguel de patinetes DEVERIAM cobrar dos usuários sem seguro obrigatório um valor prévio de R$ 1.700.

Por fim, o texto exigia um acordo entre as empresas e o governo do estado do Rio de Janeiro para definir o local de retirada e estacionamento dos veículos em locais públicos. No caso de acidentes e estacionamento irregular, as prestadoras de serviço seriam responsabilizadas.

Foi ótimo ver os deputados cariocas arregando bonito para o discurso da população. É sinal que, se o povo pressionar, projetos de lei considerados imbecis não são aprovados. E… a quem os tais deputados queriam proteger? Os taxistas? O transporte público? Ou os carros que já dominam as ruas?

Não adianta. As novas alternativas de mobilidade urbana chegaram para ficar, e não vai ser a canetada que vai mudar isso.

 

Via G1O Globo


Compartilhe