Compartilhe

O iPhone SE 2 volta à pauta dos veículos de tecnologia com vazamentos mais confiáveis sobre o hipotético smartphone de linha média da Apple, que é uma necessidade real para a empresa reforçar o catálogo, impulsionar as vendas e se manter na terceira posição do mercado global de telefonia móvel.

iPhone SE 2 seria o nome comercial desse dispositivo (que pode receber outra denominação), que seria uma renovação do modelo original lançado em 2016, que foi muito bem recebido por ser barato e contar com um tamanho menor para o manejo com uma das mãos.

Esse modelo seria baseado no design do iPhone 8, com um tamanho reduzido de tela (abaixo das 5 polegadas), muito pequeno para a tendência atual, mas que ainda tem mercado com muitos consumidores.

O iPhone SE 2 contaria com o processador Apple A13 (o mesmo do iPhone 11), acompanhado de 3 GB de RAM LPDDR4X e 64 GB ou 128 GB de armazenamento. As câmeras teriam configurações mais modestas e sistemas como Face ID ou 3D Touch ficariam de fora para manter os custos do modelo relativamente reduzidos.

A Apple já teria encomendado uma produção mensal de entre 2 e 4 milhões de unidades, e o objetivo seria vender mais de 30 milhões de unidades desse modelo em 2020.

 

 

A Apple precisa de um smartphone de linha média

 

 

Este é outro movimento estratégico para a recuperação da Apple no mercado de smartphones. Um movimento claro (e inédito na história da empresa) foi a redução de preços nas novas gerações do iPhone (11) em relação à geração anterior.

Sobre a própria canibalização de dispositivos com preços muito mais caros e o consequente custo em termos de rentabilidade, é de se imaginar que a Apple já assumiu isso. É melhor vender um telefone mais econômico do que ver um usuário migrando para o Android, e a queda dos lucros pode ser compensada através de um volume maior de usuários consumindo serviços e aplicativos da App Store.

O preço inicial sugerido para o iPhone SE 2 (com 64 GB) seria de US$ 399. Nada mal para uma Apple que cobra mais de US$ 1.000 por um de seus smartphones.

De novo: a Apple precisa de um iPhone de linha média para se manter viva no mercado de smartphones, capitalizando mais nos serviços que esse telefone pode gerenciar.

 

Via Apple Insider, 9to5Mac


Compartilhe