Compartilhe

Não sei se as pessoas se iludem com a Apple, ou se essas pessoas realmente não percebem que a gigante de Cupertino não dá ponto sem nó. Fato é que, nesse momento, muito se discute sobre a remoção de alguns acessórios do kit de venda dos smartphones que vão pertencer à futura família de telefones iPhone 12, e tem aqueles que acreditam que, por conta disso, os dispositivos vão chegar ao consumidor final por um preço mais competitivo.

Isso está tão longe da realidade, que é mais fácil acreditar que vão encontrar uma vacina para o problema global que estamos enfrentando nesse momento ainda em 2020, algo que é bem difícil de acontecer.

Vamos tentar entender por que um iPhone 12 sem carregador e fones de ouvido no kit de venda não significa ter um smartphone mais barato nas lojas.

 

 

 

O que a Apple quer? Lucrar, é claro!

 

 

A Apple é especialista em iniciar tendências, e os exemplos ao longo da história sobram. E algumas dessas tendências tinham como objetivo final aumentar as margens de lucro da empresa em relação aos produtos vendidos.

A conta é simples: quanto menor os custos de produção de um dispositivo, maior é a margem de lucro desse produto. Além disso, mudar as abordagens dos produtos e a sua relação com os seus acessórios acaba resultando em novas fontes de receitas para a empresa. Outras formas de lucrar ainda mais em função dos gadgets que cercam o produto principal.

Tim Cook e sua turma não dá ponto sem nó.

Não foi a troco de nada que a Apple liderou o movimento de remoção dos conectores para fones de ouvido no iPhone e, por tabela, em outros smartphones. Dessa forma, encontrava a desculpa perfeita para vender os Apple AirPods, que são relativamente baratos para serem produzidos, mas custam bem caro para o consumidor final.

Não é difícil perceber que a margem de lucro da Apple com os AirPods é muito maior do que oferecer um fone com fio de graça no kit de venda do iPhone.

A Apple quer fazer o mesmo movimento com a remoção dos carregadores do iPhone. Tá, tem as desculpas da preservação do meio ambiente (bem válida, por sinal) e do fato de muitos dos seus usuários já contarem com um carregador do iPhone que será compatível com o novo smartphone.

Porém, para quem quer uma recarga rápida no novo telefone, ou é marinheiro de primeira viagem no mundo Apple, a compra do novo carregador é obrigatória, e muita gente vai ter que colocar a mão no bolso por causa disso.

 

 

 

iPhone 12 mais barato sem acessórios? Eu duvido!

 

 

Nunca fez parte do histórico da Apple reduzir os preços de novos iPhones em relação aos modelos da geração anterior. No máximo, igualou os preços e sempre argumentou que “estamos oferecendo mais pelo mesmo valor”.

Porém, como o ano de 2020 foi completamente atípico e todos os fabricantes estão lutando para minimizar os prejuízos, é muito mais fácil ver um iPhone 12 ainda mais caro que o iPhone 11, mesmo sem os fones de ouvido e o carregador no kit de venda. Alguns analistas especulam isso por conta dos argumentos que já apresentei nesse post.

 

 

 

Possíveis preços do iPhone 12

 

TelaPreço Jon ProsserOutros vazamentos
iPhone 125.4 polegadasUS$649US$699
iPhone 12 Max6.1 polegadasUS$749US$799
iPhone 12 Pro6.1 polegadasUS$999US$1,099
iPhone 12 Pro Max6.7 polegadasUS$1,099US$1,149

 

 

Logo, se eu fosse você, começava a desapegar da ideia de um iPhone 12 com preço reduzido. A Apple vai fazer de tudo para reduzir as perdas, mas aumentando a margem de lucro por produto vendido. E não apenas com os smartphones, mas com tudo o que gira ao seu redor.

Se prepare para colocar a mão no bolso. É algo óbvio, mas… o iPhone 12 será bem caro. Infelizmente.

 

 

Via MacRumors


Compartilhe