Compartilhe

Em um 2020 bem complexo e complicado, fica difícil imaginar que tantas pessoas compraram novos smartphones. Por outro lado, isso é algo compreensível quando consideramos que muitas dessas pessoas precisaram de novos dispositivos para trabalhar e estudar.

Apesar da flagrante queda nas vendas de computadores e smartphones em todo o planeta, ainda assim, precisamos dar uma olhada para identificar quais foram as tendências de compras dos consumidores, até mesmo para entender o que o futuro próximo pode nos indicar.

Se bem que nem mesmo a crise global que atingiu em cheio a todos fez com que a tendência do iPhone ser o smartphone predileto da maioria dos compradores mudasse nos últimos meses.

 

 

 

(Quase) todo mundo ama o iPhone

 

 

Faltam poucas semanas (na verdade, há quem diga que faltam poucos dias) para que a Apple apresente a próxima geração do iPhone para o mundo. E enquanto esse dia não chega, temos muitas pessoas que ainda estão interessadas e apaixonadas pelo iPhone 11, que está com vendas tão elevadas ao redor do mundo, que já estaria consolidado como o smartphone que mais vendeu em 2020.

E isso é afirmado em setembro de 2020, ou seja, faltando quatro meses para esse ano problemático acabar.

É uma previsão ousada da empresa de análise financeira Omdia. Seu relatório apresentando o Top 10 das vendas globais de smartphones durante o primeiro semestre de 2020 mostra o iPhone como o rei absoluto de vendas, com 37.7 milhões de unidades comercializadas.

E estamos falando de um dispositivo que não é barato. É um dos smartphones mais caros do mercado. Então… como explicar esse sucesso todo?

A resposta pode estar justamente no seu preço, e em como a Apple trabalha com ele a seu favor.

Tim Cook e as mentes perversas que trabalham no marketing da Apple conseguem produzir com maestria um enorme campo de distorção da realidade, uma vez que o iPhone 11 é sim um telefone caro, mas muito mais barato que o modelo Pro, que só pode ser adquirido por quem realmente tem uma enorme bala na agulha para comprar esse telefone.

Logo, os consumidores acabam comprando um iPhone 11 normal para “ter um iPhone no bolso”. A mesma regra pode ser aplicada em menor escala ao iPhone SE (2020), que tem preço bem reduzido e é o iPhone menos caro para quem não quer apelar para um Samsung Galaxy da vida.

 

 

 

Top 10 dos smartphones mais vendidos em 2020 (até agora)

 

iPhone 11
Samsung Galaxy A51
Xiaomi Redmi Note 8
Redmi Note 8 Pro
iPhone SE 2020
Apple iPhone XR
iPhone 11 Pro Max
Redmi 8A
Redmi 8
iPhone 11 Pro

 

A vantagem do iPhone 11 em relação ao segundo colocado, o Samsung Galaxy A51, é enorme, já que o modelo básico dos coreanos vendeu nada depreciáveis 11.4 milhões de unidades. O modelo se destaca pela brutal bateria de 7.000 mAh que, com a ajuda de suas especificações técnicas mais modestas, garantem uma autonomia de bateria muito generosa.

A lista também mostra que a Xiaomi está se transformando em um competidor mais sério para Apple, Samsung e Huawei, com quatro dispositivos na lista dos mais vendidos em 2020 (se aproveitando justamente do veto de Trump, uma vez que a Huawei não tem nenhum telefone entre os dez mais vendidos).

Vamos ver como o ano de 2020 termina nas vendas. Apesar da histórica crise econômica, as pessoas não pararam de comprar smartphones top de linha. E, nesse cenário, é óbvio que a Apple seria aquela que mais ia capitalizar.

Não deixa de ser algo realmente impressionante.

 

 

Via PhoneArena


Compartilhe