Apesar de ser mais frágil que uma bolacha cream cracker (ou bolacha água e sal… isso mesmo, cariocas… nada de biscoito aqui) e dobrar com uma facilidade que incomoda aos mais exigentes, é fato que o iPad Pro 2018 é um dispositivo que chama a atenção de muita gente.

E alguns usuários mais criativos já começam a explorar novas possibilidades. Por exemplo, transformar o dispositivo em um monitor de luxo para o novo Mac Mini. Você pode considerar esse um luxo caro e desnecessário, mas nesse post eu vou mostrar que tal combinação até oferece algumas vantagens pontuais.

Um dos pedidos mais frequentes dos usuários do iPad é poder utilizar o seu tablet como um monitor portátil. A ideia de maior versatilidade e produtividade se alinha com o conceito desse ser um produto caro o suficiente para ser encarado como uma ferramenta de trabalho.

Pois bem, o problema entre os usuários de Macs e iPads foi resolvido com a chegada do Luna Display. E isso fez com que as primeiras combinações entre os dois mundos começassem a aparecer na internet. A proposta também serve como um aperitivo de algo que a Apple poderia adotar a sério no futuro: um macOS rodando no iPad.

Muita gente sonha com isso. Por mais versátil que seja o iOS, ele conta com limitações que ficam cada vez mais explícitas quando executado em um dispositivo como o iPad, que tem potência de sobra para rodar o macOS sem maiores dificuldades. É algo pobre constatar que o iOS não tem um gerenciador de arquivos de verdade, ou não é capaz de acessar de forma direta discos externos.

Porém, é preciso ressaltar que a combinação do iPad Pro com o Mac Mini via Luna Display é algo realmente muito caro. Some os valores de todos os produtos envolvidos, e você rapidamente vai constatar que é mais fácil comprar um MacBook Pro ou um bom notebook com Windows 10.

Se os valores dos produtos fossem mais competitivos, eu não tenho dúvidas que não faltariam interessados na proposta.

Vídeo demonstrativo a seguir.

 

 

 

Via Luna Display