Compartilhe

A Apple apresentou o novo iPad de oitava geração, ou iPad (2020), que é o modelo mais básico da marca… que quer competir com os Chromebooks (WTF???).

Seu design é o mesmo, com uma tela de 10.2 polegadas e bordas generosas para integrar o TouchID, além do suporte para o Apple Pencil e o Smart Keyboard, o que torna o modelo uma alternativa direta para os estudantes (e, dessa forma, competir diretamente com os Chromebooks).

 

 

 

A renovação para manter o que funciona bem

 

 

Aqui, a estética não recebeu mudanças, pois as bordas curvas e a tela estão em um corpo que é mais que familiar, e sem a redução das bordas dos modelos de iPad mais avançados. Bordas que abrigam uma tela de 10.2 polegadas, com o TouchID para leitura de digitais. Quem quer esse recurso terá que ir para os tablets de linha média da Apple. Não tem outra alternativa.

 

 

 

Um novo e potente processador para o iPad mais básico

 

 

Uma das principais novidades do iPad (2020) é a presença do processador Apple A12 Bionic, que conta com o Neural Engine. Ele é 40% mais potente do que o modelo da geração anterior e “até duas vezes mais rápido que o computador mais vendido com Windows e três vezes mais rápido que o tablet mais vendido com Android” (palavras da Apple, não minhas).

O suporte ao Apple Pencil de primeira geração está mantido, assim como o Smart Keyboard (ambos são vendidos separadamente), o que transforma esse produto em um pequeno computador portátil para os mais produtivos, além de oferecer uma maior versatilidade para os mais criativos. Como sempre, a Apple não revelou a autonomia de bateria do novo iPad (2020), mas a empresa promete que o dispositivo pode suportar uma jornada inteira de trabalho ou estudo, mas sem entrar em detalhes sobre isso.

 

 

O software é o iPadOS 14, a mais recente versão desse sistema operacional que vai chegar aos demais dispositivos já disponíveis (e compatíveis) amanhã, 16 de setembro. Alguns dos recursos que estarão presentes nessa versão são o suporte ao multitouch, a seleção inteligente que diferencia traços de escrita à mão ou o reconhecimento de dados como telefones, links e outros elementos para facilitar o trabalho e a escrita no tablet.

Além do suporte ao Apple Pencil, os usuários podem contar com o Scribble e até escrever diretamente sobre um campo de texto. A busca universal facilita a localização de contatos, aplicativos, arquivos e outros tipos de informações úteis.

 

 

Uma das melhores notícias que o iPad (2020) poderia receber é a inclusão de um conector USB-C, que está presente em todos os novos tablets da Apple. Finalmente, temos um conector que será o padrão para todos os futuros dispositivos que chegarem ao mercado.

 

 

 

iPad (2020): quanto custa?

 

 

Enquanto nos Estados Unidos o iPad (2020) custa a partir de US$ 329 (ou US$ 299 para usuários educacionais, o que explica a menção aos Chromebooks), no Brasil, a competição com o Chrome OS simplesmente não existe, justamente por causa dos elevados preços cobrados para esse tablet:

Apple iPad (8º gen) WiFi 32 GB: R$ 3.999
Apple iPad (8º gen) WiFi 128 GB: R$ 5.199
Apple iPad (8º gen) WiFi+LTE 32 GB: R$ 5.599
Apple iPad (8º gen) WiFi+LTE 128 GB: R$ 6.799

 

 

Via Apple


Compartilhe