Um relatório revela que a Intel iniciou um processo de reestruturação de pessoal em 2016 e, desde então, demitiu 2.300 pessoas. A idade média desses funcionários é de 49 anos, sete anos a mais do que a idade média dos funcionários da empresa.

Os funcionários decidiram reagir. Dezenas de antigos empregados da Intel buscaram assessoramento legal para um processo coletivo. Alguns deles apresentaram queixas na Comissão de Igualdade de Oportunidades de Emprego (EEOC) dos Estados Unidos.

Não são poucas as empresas que discriminam os profissionais mais velhos, principalmente porque estes exigem salários melhores, são mais conscientes de seus direitos e são propensos a ter famílias e fazer uso dos benefícios oferecidos pelas próprias empresas.

Agora, a Intel é investigada por discriminação etária, e é questionada sobre o tratamento que adota com seus funcionários. A empresa nega as acusações, afirmando que “fatores como idade, raça, origem, sexo, status migratório ou outra demografia pessoal não fazem parte do processo” (de seleção de funcionários contratados ou demitidos).

Por enquanto, depende da EEOC em tomar uma decisão, inclusive confirmando o processo coletivo contra a Intel.

Vamos aguardar os próximos acontecimentos e acompanhar o caso com atenção.

 

Via WSJ, The Verge