Instagram prefere fotos com pouca roupa

Compartilhe

Algoritmos que tentam nos dizer ou mostrar o que gostamos são importantes. Até compreendemos sua existência e utilidade, mas no final das contas só servem para limitar os usuários, pois não deixam margem para conhecer coisas novas ou ver conteúdos que não gostamos para analisar a nossa própria postura ou pensamento.

Mas isso pode ser ainda mais desagradável quando um algoritmo reduz um usuário a um estereótipo.

O estudo realizado pela AlgorithmWatch em parceria com a European Data Journalism Network revela que o Instagram prioriza as fotos de pessoas com pouca roupa na hora de compor os feeds de imagens. Detalhe: apesar da rede social ser bem homogênea (52% de mulheres usando o aplicativo, contra 48% de homens em 2019), a pele da mulher chama mais a atenção do algoritmo na hora de exibir conteúdos.

 

 

 

Instagram misógino? Sexista? Erótico?

 

 

O estudo pediu que 26 voluntários instalassem um complemento no navegador web que abria automaticamente a página inicial do Instagram em intervalos regulares, registrando quais publicações apareciam na parte superior dos feeds de notícias. Então, os participantes do estudo seguiam uma seleção de criadores de conteúdo profissionais, que usavam suas contas para promover marcas e atrair novos clientes.

Das 2.400 fotos publicadas pelos influenciadores, 362 (21%) mostravam homens com o dorso desnudo ou mulheres de biquíni ou roupas íntimas. E no final das contas, nos feeds dos voluntários, as publicações com pessoas semidesnudas eram 30% das publicações destacadas nas contas participantes do estudo.

Pelo sexo, as imagens das mulheres seminuas tinham 54% a mais de probabilidade de aparecer no feed de notícias, contra 28% de chances a mais de exibir homens com o dorso desnudo. Ou seja, isso contraria a teoria ou a crença popular que afirma que o Instagram é uma rede social para enviar fotos de comida, gatinhos, praias dos sonhos e imagens similares, já que todos esses itens tinham 60% a menos de chances de aparecer nos feeds.

É um estudo inicial, que deve ser ampliado no futuro. Mas mostra uma realidade que era percebida por muitos usuários, e que pode atuar como condicionante para muitas pessoas que preferem o Instagram na hora de enviar fotos para as redes sociais.

Precisamos levar em consideração que estamos falando de uma plataforma muito utilizada para a promoção de marcas (seja ela pessoal, profissional ou empresarial). Será que não é o próprio Instagram que, com esta política, está incentivando a publicação de imagens com conteúdo mais sensual em detrimento de outras categorias de fotos?

Nada contra as fotos de mulheres desnudas e homens sem camisa ou só de sunga. Pelo contrário: acho incrível que ambos os sexos tenham esse espaço relevante como o Instagram para publicar as imagens que desejam (desde que as mesmas sigam as normas do serviço, é claro).

O problema aqui é que o algoritmo está escolhendo pelas pessoas. Está decidindo que eu gosto de ver mais mulheres de biquíni do que fotos de lanches de hamburguerias. E o pior é que não vamos saber se a próxima foto será de uma coisa ou de outra. Aliás, como que um algoritmo vai saber o que eu quero? Apenas mostrando a última foto, tal e como faria qualquer rede social no passado?

Só porque, em algum momento, procurei no Instagram por fotos de smartphones, paisagens, comida ou mulheres com pouca roupa?

Pode isso, produção?

 

 

Via AlgorythmWatch


Compartilhe