Compartilhe

O Instagram começou a esconder os números de curtidas nas fotos publicadas da rede social para os usuários brasileiros. Agora, o aplicativo exibe a frase “curtido por fulano e outras pessoas” no feed, removendo a exibição do número de pessoas que curtiram aquele conteúdo. Dessa forma, os seus seguidores não vão ver a quantidade de usuários que deram like nas fotos. A não ser que eles contem quantas pessoas curtiram. Uma a uma.

O teste já estava em execução em outros países desde abril de 2019. A mudança faz com que apenas o dono da publicação saiba exatamente quantas curtidas as fotos receberam. Os seguidores verão os pequenos avatares dos demais usuários que curtiram a foto, além do nome de uma das pessoas que gostaram da publicação.

 

 

Um Instagram com interações mais espontâneas

 

A ideia do Instagram é que os segudores das contas se concentrem no conteúdo compartilhado, sem a influência da quantidade de curtidas que uma publicação recebe. Essa mudança pode ajudar a aumentar o engajamento na plataforma, que está registrando os seus piores índices de sua história. Muitos usuários estão excluindo as postagens que não recebem um elevado número de curtidas de forma quase imediata, ou decidem publicar imagens polêmicas em uma conta secundária, para elevar esse engajamento através de propostas não muito edificantes. Agora, sem os números de curtidas em uma publicação, os produtores de conteúdo podem simplesmente se concentrar na qualidade das publicações, e até mesmo na quantidade de imagens e vídeos publicados.

Mostrar o número de curtidas em uma publicação em qualquer rede social pode fazer uma pessoa passar mais tempo nessa rede, o que pode prejudicar o seu bem estar com o passar do tempo. Esse sintoma levanta preocupação em diversos governos, e o Facebook (dona do Instagram) quer se antecipar a possíveis problemas legais que a prática pode resultar.

Não há informações sobre quando o novo recurso será implementado nas contas do Instagram de outros países. Mas vamos esperar para ver em como os usuários brasileiros vão reagir diante da novidade.


Compartilhe