imac pro

O iFixit desmontou o iMac Pro, o All In One mais caro e avançado da Apple.

O site conclui que o desktop não é de desmontagem simples, mas ao menos a memória RAM, a CPU e as unidades de SSD são substituíveis e atualizáveis.

Abir o iMac Pro não é uma tarefa para qualquer um, e é ainda mais complicado que os modelos anteriores do iMac. A Apple alega “motivos comerciais” para complicar as coisas nesse aspecto. De fato, é isso: aumentar os lucros da assistência técnica e reparação em canais oficiais.

 

 

Uma vez aberto, encontramos a tela 5K da LG Display, que é a mesma dos iMacs anteriores e idêntico ao do monitor que a LG vende separadamente. Se você tiver problemas no futuro, ao menos a tela é substituível.

A melhor parte do processo de desmontagem é descobrir que, tanto a RAM como a CPU e a SSD são substituíveis, uma vez que acessamos placa-mãe. Porém, todos esses componentes estão presos atrás da placa lógica, e para liberá-los é necessário desmontar o computador quase por completo. Sem falar que a SSD é feita sob medida para a Apple, complicando a sua substituição.

De qualquer forma, é possível melhorar a configuração base do iMac Pro, sem precisar passar por componentes da Apple para isso. Leve em consideração as amplas possibilidades do equipamento nas configurações de hardware.

 

 

A parte negativa vem da impossibilidade de trocar a placa gráfica (Radeon Pro Vega 56, personalidade pela AMD), em formato BGA e soldada na placa-mãe. Um inconveniente para uma workstation.

O iFixit também desmontou o chip Apple T2, nova geração dos processadores ARM que a Apple usa em alguns dispositivos como complemento ao processador principal da Intel. Esse chip é responsável pelo motor de codificação, proteção da chave segura ou o controlador para a SSD, áudio e webcam.

 

 

Há uma valorização positiva no design e integração de componentes, e no novo sistema de refrigeração com um dissipador de calor massivo e um refrigerador de ventilador duplo, que oferece até 80% de capacidade de resfriamento adicional em relação aos iMacs anteriores.

Resumindo: o iMac Pro é complicado para desmontar, mas não impossível, e peças fundamentais podem ser substituídas.