Ninguém tem dúvidas que o Huawei P30 Pro é um dos grandes lançamentos de 2019 no mercado de smartphones. E, tal e como acontece com todos os grandes telefones do mercado, o dispositivo passou pelo processo de desmontagem do site iFixit, mostrando as suas entranhas e o quão o dispositivo é fácil (ou difícil) para consertar o dispositivo.

E, como já era de se esperar, o novo smartphone top de linha da Huawei é bem difícil de ser reparado. Talvez a única boa notícia nessa constatação é saber que ele não está sozinho nesse grau de dificuldade. A grande maioria dos telefones premium dos fabricantes se demonstraram bem complicados de serem reparados.

 

 

Dito isso, constatamos que o Huawei P30 Pro tem um entorno de vidro e metal, o que o deixa elegante mas muito difícil de ser aberto. Entre o vidro e o metal, há um minúsculo espaço, o que entrega ao dispositivo uma certificação IP68.

Com a parte traseira do dispositivo removido, podemos ver as bobinas que permitem a recarga de bateria sem fio e carregamento inverso, além do módulo de câmera e o seu sistema de periscópio.

 

 

O Huawei P30 Pro conta com a tecnologia acústica de tela, ou seja, o alto-falante é na tela, emitindo o som através de um sistema de vibração. Para que isso fosse possível, a Huawei acoplou parte do sistema na parte de trás da tela. Resta saber o que acontece com o alto-falante se a tela fica avariada. Também abaixo da tela encontramos o sensor biométrico ótico.

Em resumo: todas as inovações e funções mais que interessantes integradas no Huawei P30 Pro tem um preço. E é um preço que cobra caro, pois o dispositivo é bem complexo e complicado na sua reparação. O iFixit entreou uma nota 4/10 na taxa de reparabilidade (quanto menor a nota, mais difícil é o processo de reparação do dispositivo).

 

 

Vale lembrar que o Samsung Galaxy S10+ recebeu uma nota 3/10, o que reforça a teoria do “se é premum, é difícil de ser consertado”.

 

Via iFixit