Compartilhe

O iFixit publicou o seu processo de desmontagem do smartphone top de linha Huawei P20 Pro, onde mostra as entranhas do dispositivo, e o seu grau de dificuldade para ser reparado.

A conclusão do iFixit é que o Huawei P20 Pro não é de fácil reparação, atribuindo a nota 4 em 10 (quanto mais baixa a nota, mais difícil ele é de ser reparado).

A pontuação reflete uma construção muito selada e firme, o que dificulta possíveis intervenções. A combinação do vidro com a proteção IP67 e outros fatores explicam a dificuldade de troca de tela ou da carcaça de vidro, sempre mais suscetível nas quedas e acidentes.

 

 

Logo, é mais difícil acessar o interior desse smartphone justamente por conta de sua construção reforçada. É a mesma pontuação medíocre que os seus principais rivais no segmento receberam. Ou seja, é preciso retirar todos os adesivos para separar os componentes e proteções do IP67.

Os pontos positivos observados pelo iFixit é a presença de vários componentes modulares, o que facilita a troca ou reparação de peças. O grande problema é abrir o smartphone sem danificar todo o vidro que o reveste.

O risco de quebra da tela ou do vidro traseiro é real, e exige mãos firmes para sua remoção.

 

 

A substituição da bateria é outro problema para o Huawei P20 Pro. Toda a bateria está bem fixa à estrutura do smartphone, o que é ótimo para a coesão e segurança do dispositivo, mas para quem vai reparar o dispositivo vai exigir um esforço extra para a sua substituição.

Em resumo, o Huawei P20 Pro pode não ser o smartphone mais fácil para ser reparado, mas isso é algo que beneficia o grande público. Tal e como vários modelos com acabamento em vidro, sua pontuação está na média dos recentes lançamentos entre os tops de linha.

 

 

Via iFixit


Compartilhe