A Huawei apresentou na CES 2019 o MateBook 13, que vai na esteira do MacBook Air da Apple, com hardware, linhas de design e o mais completo conjunto técnico para quem quer potência e mobilidade.

O novo portátil da Huawei não é um produto caro (preço inicial sugerido de US$ 999), mas o seu hardware não passa indiferente. Seu processador é o Intel Core i5-8265U, trabalhando com 8 GB de RAM e 256 GB de SSD PCIe. Sua tela de 13 polegadas possui resolução Quad HD (2160 x 1440 pixels).

O trackpad é generoso, e o botão de liga/desliga recebe um leitor de digitais integrado compatível com o Windows Hello. Seu peso é de apenas 1.27 kg, com 14 mm de espessura. Infelizmente, o seu teclado não é retroiluminado.

 

 

O Huawei MateBook 13 conta com o sistema de ventilação Skarkfin 2.0 com ventilador duplo que se movem em uma velocidade 25% superior à média dos notebooks tradicionais. Na sua versão mais cara (US$ 1.300), você recebe o processador Core i7-8565U, 8 GB de RAM, 512 GB de SSD e GPU NVIDIA MX150 com 2 GB de VRAM.

Na conectividade, o modelo conta com duas portas USB Type-C e nada mais. Na compra do notebook, você recebe uma MateBook Dock 2 para expandir as portas, recebendo duas USB Type-A, uma conexão Ethernet e VGA.

 

 

 

Por fim, a autonomia de bateria do modelo com a GPU da NVIDIA é de 9.6 horas, enquanto que a configuração padrão pode alcançar as 10 horas de uso. Nada espetacular, mas mais que suficiente para os usuários com necessidades mais básicas.

O Huawei MateBook 13 tem data de lançamento prevista para o dia 29 de janeiro. Não é um notebook gaming, mas é bem vindo para quem busca um portátil leve para o uso em qualquer lugar.

Apesar do MacBook Air da Apple ser o rei desse segmento, esse produto pode ser uma alternativa genal para brigar com outras gigantes asiáticas igualmente presentes nesse setor, como o LG Gram ou os novos notebooks da Xiaomi.