O Huawei Mate 20 Pro é um dos melhores smartphones de 2018, e foi o mais recente desmonte do iFixit.

Vários são os atributos desse dispositivo, incluindo o leitor de digitais na tela e o reconhecimento facial 3D. O processo de desmontagem revela o que o smartphone traz em seu interior, e o quão difícil pode ser uma eventual reparação do dispositivo em si.

Seu interior esconde (sem maiores surpresas) o seu processador Kirin 980, o mais potente do mercado nesse momento (de acordo com o ranking de benchmark do AnTuTu). Além disso, o leitor de digitais na tela é outro elemento de destaque no seu interior.

 

 

O Huawei Mate 20 Pro recebeu uma pontuação 4/10 do iFixit, ou seja, é um dispositivo de difícil reparação. Quanto maior é a nota nessa avaliação, mais fácil o dispositivo é de ser reparado.

A baixa pontuação do Mate 20 Pro é atribuída à sua certificação IP68, o que resulta no uso de várias borrachas para selar todos os possíveis pontos de entrada de água.

Sua configuração modular de vários componentes acaba deixando a reparação menos custosa, e sua bateria é de fácil substituição. Porém, o tipo de parafusos utilizado, o excesso de uso de adesivos e colas e toda a gama de materiais adotados acabam complicando o processo de reparação. Sem falar nos vários cabos Flex utilizados e a compactação dos componentes internos.

 

 

O iFixit também informa que o processo de troca de tela implica em desmontar completamente o smartphone, o que é uma péssima notícia para os técnicos especializados na reparação do dispositivo.

Em resumo: tente não deixar esse smartphone cair, pois se a sua tela espatifar ou trincar, o prejuízo na hora da reparação tende a ser enorme. As chances dos custos para a troca de tela serem elevados demais são grandes, e sinceramente não sei se vale a pena investir tanto dinheiro no conserto de um dispositivo.

 

Via iFixit