Compartilhe

A Huawei vai lançar os novos smartphones da família Mate 30, e é provável que os telefones não contem com aplicativos do Google pré-instalados. Isso deve acontecer por causa do bloqueio imposto pelo governo dos Estados Unidos à empresa chinesa, o que impede a presença do Android nos futuros dispositivos.

O Mate 30 será apresentado em um evento agendado para o dia 19 de setembro em Munique, e contará com o mais recente processador Huawei, o Kirin 990.

A Huawei confirma o lançamento, apesar de ainda estar em uma lista negra nos Estados Unidos, que impede as empresas norte-americanas de fazer negócios com a empresa chinesa.

A empresa chinesa recebeu outra moratória de 90 dias, o que permite que empresas norte-americanas solicitem licenças especiais para negociar com a Huawei. Porém, um porta-voz do Google confirmou à Reuters que a moratória temporária não se aplica a novos produtos.

 

 

O plano B da Huawei só entra em ação se o milagre não acontecer

A Huawei anunciou recentemente seu próprio sistema operacional, o HarmonyOS. Porém, a empresa entende que ainda não dá para colocar o SO no Mate 30. “Não lançaremos o sistema Harmony no smartphone em tão pouco tempo, pois isso prejudicará o relacionamento e a confiança entre a Huawei e Google, uma vez que trabalhamos com o Google há muitos anos ”, disse a fonte à CNBC.

A Huawei tem outra opção se não puder licenciar os serviços do Google: use uma versão de código aberto do Android que não recebe os aplicativos do Google no dispositivo. Obviamente, a Huawei pode fornecer aos usuários guias sobre como os apps podem ser baixados e instalados posteriormente.

A Huawei lançará o Mate 30 nos mercados internacionais e na China, apesar de não ter acesso aos serviços do Google. A empresa ainda espera que algum tipo de resolução seja alcançada. “Ainda esperamos que um milagre aconteça”, disse a fonte à CNBC.

A empresa já sentiu os efeitos do bloqueio de Trump nos mercados internacionais. Os envios de smartphones na Europa caíram 16% no segundo trimestre de 2019. No entanto, na China, as vendas aumentaram quando a empresa voltou a sua atenção para o mercado interno.

A Huawei vem intensificando seu foco em sua própria tecnologia para diferentes segmentos, de modems a processadores. E agora, trabalha em seu próprio sistema operacional, na tentativa de reduzir a sua dependência das empresas norte-americanas.

O processador Kirin 990 que aparecerá no Mate 30 foi desenvolvido pela Huawei HiSilicon. Ele é baseado nos projetos da Armbank da Softbank, mas a empresa suspendeu a sua parceria com a Huawei em maio, porque os seus projetos de chips recebem tecnologia norte-americana.

No entanto, a fonte disse que ter acesso aos componentes necessários para o smartphone “não é um problema”. A Reuters informou que a licença ARM da Huawei é baseada no trabalho anterior à lista negra, o que isenta os chineses de problemas nesse aspecto.

 

Via CNBC


Compartilhe