Compartilhe

Faz muito tempo que eu não escrevo sobre a HTC aqui no blog. Eu mesmo decidi parar de falar tanto na marca, uma vez que ela decidiu abandonar vários mercados (inclusive o mercado brasileiro) para apostar em mercados específicos. Eu sempre achei que este era um grande erro do fabricante, e o tempo está mostrando que eu tinha razão.

Os temos de sucesso da HTC no mercado mobile ficaram no passado. Os resultados financeiros dos últimos anos mostravam claramente um cenário negativo, e a marca não consegue reverter a tendência de queda, afundando ainda mais em 2018.

De acordo com os últimos resultados financeiros da empresa, a sua receita ficou na casa de US$ 770 milhões em 2018, ficando abaixo da casa do bilhão de dólares pela primeira vez em sua história.

 

 

A queda nas receitas foi de 62% em relação ao valor alcançado em 2017, e é a mais baixa receita da HTC desde 2005. Os resultados do quarto trimestre de 2018 ainda não foram anunciados, mas o cenário não é nada animador, com a HTC podendo registrar perdas operacionais de US$ 361 milhões nos três primeiros trimestres de 2018.

Os números mostram que a tendência de queda da HTC está presente desde 2011, ano em que a empresa registrou os seus melhores números. Vale a pena lembrar que, naquele ano, o Android ainda estava engatinhando (Gingerbread), e que a HTC era vista como referência de mercado. Status que a marca deixou escapar com o passar do tempo.

 

 

Várias apostas que não vingaram e uma grande teimosia em impor o HTC Sense contribuíram decisivamente para o cenário atual da marca, que conta com um passado no mercado mobile. Ver a HTC sendo incapaz de se adaptar aos novos tempos é algo que deixa qualquer fã de tecnologia desanimado.

A HTC precisa descobrir se ainda vale a pena seguir lutando contra um destino que parece cada vez mais óbvio. A marca já desapareceu no mercado de telefonia móvel. Só a própria HTC que não sabe disso.

 

Via TechCrunch


Compartilhe