Hackers que estão hackeando hackers: e agora?

Compartilhe

Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão? Será?

E quando o ladrão roubou um ladrão que tem os dados de milhares ou milhões de usuários? Não basta ter a exposição das informações pessoais de muita gente; é preciso ver essas informações parando nas mãos de pessoas que podem ser ainda mais perigosas, podendo deixar esses dados ainda mais vulneráveis.

Sim, amigo leitor: eu estou falando dos hackers.

Esse sempre foi um personagem controverso no mundo da informática. O amplo conhecimento informático é uma ferramenta muito útil para eles. E essa ferramenta pode ser utilizada tanto para o bem como para o mal das pessoas, especialmente quando essa inteligência está ao dispor do indivíduo para violar, atacar e, principalmente, roubar informações de sistemas digitais e seus usuários, causando danos para milhares de pessoas e instituições.

Porém, nem mesmo os hackers são tão precavidos ou prudentes como muitos pensamos. Mesmo porque gente burra existe em qualquer lugar, inclusive entre os hackers. E não entenda burrice aqui como falta de inteligência. É melhor definir como inocência ou ingenuidade mesmo, uma vez que ser inteligente não necessariamente é sinônimo de esperteza ou malícia.

Na realidade, está surgindo na internet uma nova tendência, onde agora um grupo de hackers está hackeando outros hackers. Isso mesmo, amigo leitor: temos um jogo de palavras um tanto quanto complicado de se escrever e entender.

 

 

 

O ladrão que está roubando o ladrão na internet

 

 

Quem denuncia essa situação curiosa que está ganhando força na internet é a empresa de segurança cibernética Cybereason. Alguém está injetando um poderoso trojan ou cavalo de troia em um monte de crackers e programas específicos para hackeamento de usuários. Os arquivos são enviados para fóruns especializados sobre o tema, que normalmente são frequentados por atacantes e ladrões digitais, que acabam virando vítima desse tipo de golpe.

Quando os hackers entram no site, fazem o download de tais ferramentas, acreditando que elas serão úteis para violar o acesso de suas vítimas. Ah… pobres coitados… o que eles não sabem é que, tão logo realizam a instalação do software em seus respectivos computadores, algum “colega” obtém o acesso completo ao seu computador, roubando todos os dados armazenados nele, incluindo aqueles que o hacker já roubou de outros usuários, gerando assim um curioso efeito cascata.

A Cybereason garante que estas ferramentas de hack estão sendo infectadas com o trojan nrRat, que é um poderoso malware que oferece ao atacante o acesso completo aos dados armazenados do computador de sua vítima. Tudo pode ser obtido por terceiros, incluindo arquivos, senhas, downloads, elementos do sistema e até acesso à webcam e microfone do computador. Uma invasão ampla, irrestrita e praticamente ilimitada.

Será que estamos diante de uma espécie de Dexter do mundo digital?

Para quem não entender a referência, a série de TV Dexter era protagonizada por um serial killer que só matava serial killers. É mais ou menos o que estamos vendo nesse caso: no lugar de infectar às cegas um monte de vítimas inocentes, o hacker optou por hackear outros hackers para ter acesso a tudo o que o primeiro hacker já possui.

É uma forma do cibercriminoso poupar algum tempo, roubando um volume maior de dados. Sem falar que é uma forma bem interessante para um hacker receber um pouco do seu próprio remédio. Mesmo assim, isso é algo preocupante: já pensou se o hacker dos hackers de repente muda de ideia, e decide fazer de qualquer um de nós uma de suas vítimas?

 

 

Via Cybereason, TechCrunch


Compartilhe