O Google quer ajudar ao eleitor brasileiro a se manter informado sobre o (pouco) que os candidatos estão propondo para o futuro do Brasil, mostrando as tendências de informações divulgadas por eles, e alinhando com o comportamento do brasileiro nesse período.

A ideia é elevar a qualidade do debate e fazer com que qualquer pessoa possa compreender os padrões e tendências de discussão das campanhas eleitorais.

Para isso, a Google apresenta duas ferramentas:

– Central de Dados do Google Trends (g.co/trendseleicoes2018), que mostra a campanha presidencial brasileira de 2018 em detalhes;
– O projeto Na Busca do Candidato, que usa os dados do Google Trends sobre os presidenciáveis. Essa plataforma é pensada especialmente nos dispositivos móveis.

 

 

Eu apoio fortemente o uso dessas ferramentas. Aliás, apoio qualquer tipo de tecnologia para formação de opinião e divulgação da informação útil. Ainda mais em uma questão tão sensível e importante para o povo brasileiro, como é o caso das eleições.

A Google tem o cuidado de reforçar que a Central de Dados do Google Trends não revela a intenção de voto do brasileiro, para não configurar o serviço como uma central de pesquisa eleitoral.

O sistema apenas apresenta as tendências dos temas mais procurados pelo eleitor brasileiro, sendo assim um termômetro das escolhas pontuais durante o período eleitoral.

 

 

Já o Na Busca do Candidato usa os dados do Google Trends para oferecer as informações mais completas de cada um dos candidatos. A Google se vale dos dispositivos móveis, que são a principal via de consumo de conteúdo na internet para o brasileiro hoje (superando o computador) para oferecer uma plataforma otimizada com todas essas informações.

Em um ano onde toda e qualquer informação é relevante para uma decisão mais acertada, as plataformas da Google são valiosas para uma informação isenta sobre o comportamento do eleitor brasileiro, além de uma fonte segura para obter dados sobre os candidatos.

 

Via Google