O Google Home Hub é mais um dispositivo com Google Assistente que quer competir com os demais alto-falantes inteligentes com tela que foram apresentados nos últimos meses.

O produto bate de frente com o Amazon Echo Show e o recém apresentado Facebook Portal. Com ele, a Google quer oferecer “um lar mais útil”, indo além das propostas do Google Home e do Google Home Mini.

 

 

Tem tela, mas não tem câmera

 

 

O principal atrativo do Google Home Hub é a sua tela touch, onde as respostas faladas do assistente serão ilustradas. Assim, podemos ver receitas culinárias no seu passo a passo, indicações automáticas de rotas para chegar ao destino ou previsão do tempo para a semana.

A Google atualizou as funções dos seus principais serviços para que eles possam interagir com o Home Hub. Incorporando tanto controles de voz como informações que podem ser exibidas na tela.

 

 

Outro detalhe importante é que o Google Home Hub não conta com uma câmera. Ou seja, nada de videochamadas e um olho a menos em você e na sua casa, já que o temor pela violação de privacidade é elevado.

A Google colocou muita ênfase em um recurso chamado Home View, que quer se transformar no principal (e praticamente único) painel de controle para a sua casa inteligente no presente e, principalmente, no futuro.

 

 

A ideia é que uma pessoa possa controlar toda a casa via Google Home Hub, assim como os diferentes dispositivos inteligentes que existem nela, indo de fechaduras a lâmpadas, passando por equipamentos multimídia, termostatos ou câmeras de segurança.

O Google Home Hub também é pensado nas atividades culinárias, permitindo o acesso a uma “enorme biblioteca de receitas”. Por outro lado, também pode ser utilizado como reprodutor de música e vídeo por streaming, nas mais diferentes plataformas. Também é possível sincronizar o produto com outros alto-falantes, como o Google Home ou o Chromecast, para criar uma rede de áudio pela casa.

 

 

O Google Home Hub tem preço sugerido nos Estados Unidos de US$ 149. Não há previsão de lançamento para o Brasil, por enquanto.