Compartilhe

Mais uma prova que o conhecimento teórico é relativo no atual mundo da tecnologia.

Apple, Google, Netflix e outras gigantes tecnológicas estão implementando uma nova medida que chama a atenção dentro da indústria: buscar por funcionários que contam com no máximo quatro anos de estudos.

Essa chamativa mudança de perfil é uma transformação significativa no setor, já que em muitas empresas consideradas populares não estão exigindo um diploma universitário ou tantos anos de estudo para algumas vagas.

Tal comportamento pode ser detectado pelos perfis das vagas profissionais disponíveis no LinkedIn. Sem falar que grandes CEOs de gigantes do mundo tech, como é o caso de Tim Cook (Apple) afirmam que não é mais tão necessário ter tanto tempo de estudo para trabalhar nessas empresas. No caso da gigante de Cupertino, mais da metade dos seus funcionários são pessoas que não contam com estudos avançados ou universitários.

Tal comportamento das gigantes de tecnologia pode se transformar em um padrão comum dentro do setor.

 

 

Apple, Google e seus funcionários

 

 

O próprio Tim Cook observou que, em determinadas situações, as universidades não ensinam para os alunos as habilidades necessárias para que os líderes empresariais possam desenvolver suas capacidades e força laboral em áreas como a codificação, por exemplo.

Já Barbara Humpton (CEO da Siemens dos EUA) afirma que “com muita frequência, as solicitações para uma vaga de emprego exigem em torno de quatro anos de estudos como mínimo, quando na prática na indústria não há qualquer vaga que realmente exige um período tão longo de preparação, de modo que a medida só ajuda aos nossos gerentes de contratação a eliminar vários candidatos do processo de seleção”.

Diante desse cenário, Google e Apple estão contratando funcionários com as habilidades necessárias para realizar um trabalho específico, independente do fato do candidato ter ou não um diploma universitário.

O LinkedIn fez uma análise detalhada dos dados atuais das empresas, e conseguiu identificar uma grande quantidade de postos específicos para serem cobertos de forma rápida, onde os quais não exigem que a pessoa conte com diploma universitário.

 

 

Isso mostra mais uma vez que aqueles mais resistentes sobre a necessidade ou obrigatoriedade de um diploma para determinadas vagas de trabalho estão com uma visão mais atrasada de todo um processo. Em diversos segmentos profissionais, vale muito mais o talento, a dedicação e as habilidades do candidato do que a teoria atestada por um diploma.

Especialmente no mundo da tecnologia, onde tudo é muito mais dinâmico e versátil. Muitos amadores contam com habilidades avançadas que muitos profissionais não conseguem absorver, mesmo depois de anos de universidade.

 

Via Business Insider


Compartilhe