Compartilhe

Já nos acostumamos a maldizer os Millennials. E até com uma certa dose de razão. Mas é preciso lembrar que nós, membros das gerações X e Y, também fomos massacrados pelas gerações anteriores (que, ironicamente, ferraram com o planeta Terra nos aspectos políticos e ambientais). Logo, no lugar de criticar quem veio depois de nós (e que ainda contam com a chance de fazer melhor), vamos olhar para frente.

Vamos olhar para a geração que vem depois dos Millennials.

Os filhos dos Millennials já são chamados de Geração Alfa, e serão membros da primeira geração a nascerem e viverem em um mundo completamente digitalizado, com as novas tecnologias totalmente familiares, e muito mais capazes de se adaptarem melhor às tecnologias do futuro. Mesmo porque essa será a geração que vai criar tais tecnologias novas.

 

 

Um mundo de alfas

 

 

Faz parte da Geração Alfa qualquer pessoa que nasceu a partir de 2010. Ou seja, nesse momento, qualquer pessoa que tem 9 anos de idade ou menos. E a boa notícia para essa turma é que ela tem muito mais chances de ser bem sucedida do que os Millennials (o que também não é difícil de explicar quando olhamos para a forma de pensar e comportamento dos Millennials).

A Geração Alfa vai viver melhor do que os seus pais, não apenas nos aspectos econômicos, mas também na qualidade de vida, maior poder de escolha, mais oportunidades de educação, maior cuidado com as outras pessoas, entre outros fatores.

Será uma geração que vai receber maior atenção que as anteriores, contará com maior presença paterna, ao mesmo tempo que terá uma vida muito mais alinhada com as tecnologias onipresentes. Também terá pais mais conectados como padrão, o que pode ser um limitante para a disponibilidade emocional e a qualidade da atenção.

Porém, a Geração Alfa será mais bem sucedida que a geração dos seus pais, especialmente pela capacidade de adaptação a algo que pareça familiar para esse grupo de pessoas.

Hoje, os membros desse grupo contam com menos interação com histórias narrativas e menor intercâmbio de linguagem, o que vai resultar em mais patologias de linguagem e uma maior incidência de transtornos oftalmológicos e déficit de atenção.

E o mais curioso de tudo isso é que a Geração Alfa pode se adaptar muito melhor às tecnologia, mas não tanto à vida real, uma vez que estão mais propensos a ter mais acidentes em casa do que as gerações anteriores. Isso pode acontecer em partes pela dependência à tecnologia que impede que essa pessoa veja o que está acontecendo do outro lado dos seus telefones.

Por outro lado, a culpa disso também pode ser atribuída aos seus pais… que são Millennials. Os pais simplesmente não vão prestar atenção para os seus próprios filhos porque nesse momento estão mais interessados nas coisas que estão acontecendo na internet.

 

Via BBC


Compartilhe